Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Pior ‘serial killer’ da Rússia que violou e matou mais de 81 mulheres pede pena de morte

Ex-polícia, de 56 anos, conhecido como ‘O Lobisomem’ confessou mais dois homicídios e, pela primeira vez, mostrou arrependimento. Autoridades acreditam que matou "perto de 200 pessoas".
Correio da Manhã 6 de Agosto de 2020 às 16:00
A polícia acredita que Mikahil Popkov matou 'perto de 200 pessoas'
A polícia acredita que Mikahil Popkov matou 'perto de 200 pessoas'
A polícia acredita que Mikahil Popkov matou 'perto de 200 pessoas'
A polícia acredita que Mikahil Popkov matou 'perto de 200 pessoas'
A polícia acredita que Mikahil Popkov matou 'perto de 200 pessoas'
A polícia acredita que Mikahil Popkov matou 'perto de 200 pessoas'

O caso é um dos mais chocantes da história e coloca-o no topo da lista dos piores assassinos em séria da Rússia: Mikahil Popkov, de 56 anos, confessou ser responsável pelos homicídios de mais duas mulheres, que terão ocorrido na década de 1990 . O ex-polícia, conhecido como ‘O Lobisomem’, admite assim que matou um total de 81 mulheres. Está a cumprir pena de prisão perpétua, mas agora pede que lhe seja atribuída a pena de morte.

Mikahil, segundo as autoridades, terá matado "perto de 200 pessoas", na sua esmagadora maioria mulheres. O russo circulava no carro da polícia e oferecia boleia a mulheres que andavam sozinhas na rua à noite na cidade de Angarsk.

Quando as vítimas aceitavam a boleia, achando-se seguras por se tratar de um agente da polícia, Mikahil atacava-as, violava-as e depois matava-as, livrando-se dos corpos em zonas de mato. Só agora, passados mais de 30 anos dos crimes, é que Mikahil manifesta arrependimento. O ‘serial killer’ chega mesmo a pedir que a sua pena seja revista e que seja condenado à pena de morte, abolida na Rússia em 1996. 

"Houve momentos em que já pensei que a pena de morte tinha sido melhor. Tenho muito para me arrepender. Gostava que nada disto tivesse acontecido, que eu não tivesse deito nada disto. É uma emoção natural das pessoas, o arrependimento. E eu tive muito tempo para pensar no que fiz", admite o criminoso, preso agora na cadeia de Irkutsk.

Questionado sobre o número de pessoas que matou, Mikahil é sempre evasivo: "Eu não contei as minhas vítimas".

O tenente-coronel Evgeny Karchevsky, investigador responsável pelo caso volta a sublinhar que é certo que o assassino em série "tenha cometido bem mais de 100 crimes de homicídio" e argumenta que esta confissão surgiu apenas porque o suspeito queria voltar para a prisão de Irkutsk, algo que o próprio não nega.

"Estava a trabalhar na colónia de trabalhos forçados há 10 meses e precisava de umas férias, por isso escrevi aquela confissão. Sabia que isso me traria de volta à cadeia", afirma o criminoso. 

Até 1996 a pena de morte na Rússia era aplicada com os criminosos a serem abatidos com um tiro na nuca.

Rússia O Lobisomem Mikahil Popkov Irkutsk crime lei e justiça questões sociais morte crime homicídio
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)