Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Polícia britânica detém mais dois suspeitos de ligação ao atentado

Onze pessoas estão sob custódia policial por envolvimento no ataque em Manchester.
27 de Maio de 2017 às 10:11
A carregar o vídeo ...
Polícia britânica detém mais dois suspeitos de ligação ao atentado
A polícia britânica anunciou em comunicado ter prendido este sábado dois homens, depois de realizar uma explosão controlada em Manchester, no âmbito do inquérito para apurar os contornos do ataque que matou 22 pessoas na segunda-feira.

A detenção destes dois homens, com idades entre 20 e 22 anos, eleva para 11 o número de suspeitos sob custódia na sequência da explosão de uma bomba à saída de um concerto da cantora norte-americana Ariana Grande, na Manchester Arena.

Na sexta-feira foi detido um homem de 44 anos na região de Rusholme, na periferia de Manchester, por alegadas ligações ao atentado terrorista de segunda-feira.

O atentado foi perpetrado por um britânico de origem líbia de 22 anos, nascido em Manchester.

O ataque fez 22 mortos, além do atacante, e 75 feridos, tendo sido reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico.

Bairro residencial evacuado por precaução

A polícia de Manchester, Inglaterra, anunciou hoje a retirada de moradores, "por precaução", no âmbito de buscas efetuadas numa zona residencial da cidade relacionadas com o atentado de segunda-feira, que matou 22 pessoas.

Elementos da força indicaram estarem a ser retirados moradores do bairro de Moss Side.

A imprensa local publicou fotografias que mostram a presença de viaturas das equipas de desmantelamento de bombas.

A polícia tem realizado várias buscas e mantém 11 suspeitos sob custódia, no âmbito da explosão no final de um concerto de Ariana Grande que, além de 22 mortos, provou dezenas de feridos.

O atentado, reivindicado pelo grupo extremista Estado Islâmico, foi perpetrado por um britânico de origem líbia de 22 anos, nascido em Manchester, que também morreu.
Estado Islâmico Manchester Rusholme Ariana Grande Arena distúrbios guerras e conflitos terrorismo
Ver comentários