Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Polícia disparou contra cristãos

A violência sectária voltou ontem ao Egipto e à Nigéria, onde a tensão entre cristãos e muçulmanos está ao rubro. Depois do atentado que na noite de Ano Novo matou 23 fiéis junto a uma igreja copta de Alexandria, ontem pelo menos mais um cristão morreu e cinco ficaram feridos no Sul do país.
12 de Janeiro de 2011 às 00:30
O atentado junto a uma igreja copta em Alexandria contribuiu para aumentar o clima de tensão e violência
O atentado junto a uma igreja copta em Alexandria contribuiu para aumentar o clima de tensão e violência FOTO: Ahmed Khaled/EPA

Este novo incidente, levado a cabo por um polícia muçulmano, ocorreu escassas horas depois de o Egipto ter chamado a sua embaixadora na Santa Sé, na sequência das declarações do Papa sobre a insegurança das comunidades coptas no país, as quais foram consideradas, pelo governo do Cairo, interferência nos assuntos internos do Egipto.

O polícia, Amer Ashour Abdel--Zaher, seguia num comboio que ligava Assiut, no Sul do Egipto, ao Cairo, e começou a disparar contra passageiros em Samalut, 250 quilómetros a sul da capital. Os cinco feridos deram entrada num hospital perto de Samalut e um deles afirmou que um cristão tinha sido morto. Pouco tempo depois, centenas de cristãos protestaram, nas imediações do hospital, contra o ataque e a polícia dispersou-os com gás lacrimogéneo.

Horas antes do ataque, o Egipto chamara a sua embaixadora na Santa Sé. "O Egipto pediu ao seu embaixador que regressasse ao Cairo para consultas na sequência das declarações do Vaticano sobre assuntos egípcios que consideramos inaceitável ingerência nos nossos assuntos internos", informou o porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros do Cairo, depois de, no dia anterior, Bento XVI ter exortado os governos e entidades religiosas dos países muçulmanos a fazerem mais para protegerem as minorias cristãs. Recorde-se que o atentado em Alexandria matou 23 fiéis.

ATENTADOS À BOMBA MATAM 13 NA NIGÉRIA

Novos atentados à bomba contra aldeias de maioria cristã perto de Jos, no centro da Nigéria, mataram ontem pelo menos 13 pessoas.

O ataque mais sangrento ocorreu em Wareng, não tendo as autoridades dado mais pormenores sobre os outros atentados.

Nos últimos meses, a violência sectária voltou a aumentar na Nigéria, que é palco de confrontos endémicos entre comunidades cristãs e muçulmanas. Apesar do reforço da segurança, desde a passagem de ano já morreram quase cem cristãos em Jos.

EGIPTO ATENTADOS VIOLÊNCIA NIGÉRIA CRISTÃOS BOMBA
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)