Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Polícia do Vaticano interrompe orgia gay

Sexo em grupo decorria em casa do secretário de um dos principais conselheiros de papa Francisco.
Ana Ferreira Silvestre e Pedro Zagacho Gonçalves(pedrogoncalves@cmjornal.pt) 5 de Julho de 2017 às 18:05
Papa Francisco aborda as 'armadilhas da tentação'
Vaticano
Vaticano
Cardeal George Pell, acusado de vários crimes sexuais
Papa Francisco aborda as 'armadilhas da tentação'
Vaticano
Vaticano
Cardeal George Pell, acusado de vários crimes sexuais
Papa Francisco aborda as 'armadilhas da tentação'
Vaticano
Vaticano
Cardeal George Pell, acusado de vários crimes sexuais

O escândalo aconteceu no apartamento do secretário do cardeal Francesco Coccopalmerio,  um dos principais conselheiros do papa Francisco, de 80 anos. Há relatos de que aconteceu uma orgia gay, mas é desconhecida a identidade dos envolvidos.

O apartamento pertenceu à Congregação para a Doutrina da Fé do Vaticano, que é responsável por abordar o abuso sexual clerical.

Coccopalmerio faz parte do Conselho Pontifício de Textos Legislativos e teria recomendado o seu secretário ao papa Francisco para várias funções.  

As declarações explosivas foram feitas pelo jornal italiano Il Fatto Quotidiano.

Este é o último escândalo que atingiu o Vaticano, depois de o chefe de finanças, Cardeal George Pell, ter sido acusado de vários crimes sexuais.

O Cardeal Pell protestou a favor da sua inocência e disse que estava ansioso para que o dia do julgamento chegasse, após uma investigação de dois anos. A polícia não revelou detalhes das acusações contra o homem de 76 anos, citando a necessidade de preservar a integridade do processo judicial.

Em março, o Vaticano foi atingido com uma onda de acusações e protestos sobre padres que estavam envolvidos em escândalos como orgias, prostituição e vídeos pornográficos.

As reivindicações eram constrangedoras para o Vaticano, que sob o papa Francisco tentou exigir altos padrões do clero.

O papa Francisco tem tentado reprimir o comportamento pouco ético de outras pessoas ligadas à Igreja, desde que assumiu funções em 2013. Além disso, aborda muitas vezes a questão das armadilhas da "tentação". 

Ver comentários