Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Polícia investiga espancamento de “bruxas”

A polícia indiana está a investigar o caso de habitantes de uma zona tribal da Índia terem, alegadamente, espancado e cortado o cabelo a 50 mulheres, acusando-as de “feitiçaria”.
22 de Dezembro de 2008 às 13:17
Polícia investiga espancamento de “bruxas”
Polícia investiga espancamento de “bruxas” FOTO: d.r.

A polícia de Chhattisgarh afirma que os aldeões terão sido aconselhados por um líder espiritual que lhes garantiu que o ataque os protegeria dos espíritos malévolos.

 

“A polícia começou a investigar e interrogar dezenas de aldeões que organizaram uma cerimónia de purificação de nove dias, onde cortaram o cabelo à força a cerca de 50 mulheres, acusando-as de serem bruxas e batendo-lhes publicamente”, referiu Radheshyam Nayak, da polícia de Chhattisgarh.

 

Em 2005 foi promulgada naquela zona uma Lei de prevenção da Feitiçaria que pretende contrariar o crescimento de caça às bruxas que pode custar até cinco anos de prisão para os prevaricadores.

 

A superstição ainda está muito presente na cultura da Índia pelo que dezenas de mulheres são mortas, torturadas e obrigadas a andar nuas nas ruas anualmente por suspeitas de serem “bruxas”. Esta situação intensifica-se nos meios rurais devido à ineficácia do sistema escolar, ainda que não seja comum em Chhattisgarh. 

 

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)