Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

POLÍCIA JÁ ENCONTROU DOIS CORPOS

Dois corpos foram ontem encontrados nos arredores do castelo de Sautou, no Noroeste da França, após aturadas buscas levadas a cabo pela polícia francesa. A descoberta dos cadáveres foi possível graças à colaboração do próprio assassino confesso, o pedófilo Michel Fourniret, que acompanhou os agentes.
5 de Julho de 2004 às 00:00
Segundo as primeiras informações disponíveis, os cadáveres são da menina belga de 12 anos, Elisabeth Brichet, e da estudante francesa Jeanne-Marie Desramault, de 22, ambas desaparecidas em 1989, e as quais foram assassinadas por Fourniret, segundo o próprio confessou.
Fourniret está em prisão preventiva há um ano na Bélgica. A sua mulher também está detida.
O guarda-florestal, de 62 anos, a quem já chamam “Dutroux francês”, em referência ao pedófilo belga Marc Dutroux, condenado recentemente a prisão perpétua, admitiu nos últimos dias ter assassinado nove pessoas na França e na Bélgica, entre 1987 e 2001. O ‘alegado serial killer’ confessou ter enterrado os corpos das duas raparigas agora descobertas, naquele local que chegou a ser propriedade sua, entre 1988 e 2000.
Segundo fontes judiciais, Fourniret apresenta-se tranquilo ao relatar os actos aterradores que cometeu. E, com uma frieza impressionante, o pedófilo afirma, por exemplo, que sente alguma decepção por não ter a certeza absoluta de ter conseguido “desflorar” alguma das suas vítimas, normalmente adolescentes e jovens, e narra, sem pudor, a forma como as despiu, as violou e as matou.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)