Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Polícia muito confiante

A investigação aos ataques terroristas falhados em Londres e Glasgow avança “extremamente depressa” e a polícia britânica está “muito confiante”, sendo “cada vez mais claro” que existem ligações entre as duas acções terroristas. Ontem, foram detidos mais três suspeitos, elevando para cinco o número de alegados terroristas capturados.
2 de Julho de 2007 às 00:00
 A polícia deteve três suspeitos e passou a pente fino várias residências em Glasgow, Liverpool e Staffordshire
A polícia deteve três suspeitos e passou a pente fino várias residências em Glasgow, Liverpool e Staffordshire FOTO: Phil Noble / Reuters
“Não é exagero dizer que estão a surgir novas informações de hora a hora”, declarou o chefe da secção antiterrorista da Scotland Yard, Peter Clarke. Segundo aquele responsável, nos próximos dias a polícia irá dispor de elementos suficientes para formar uma ideia clara do método utilizado pelos terroristas, de como planearam os ataques e a que rede ou organização pertencem. Ontem, o primeiro-ministro Gordon Brown afirmou não ter dúvidas de que se tratava de uma acção de “elementos ligados à al-Qaeda” e assegurou que o Reino Unido “jamais se renderá” perante o terrorismo.
As novas detenções, feitas durante a madrugada e manhã de ontem, incluem um homem de 26 anos e uma mulher de 27, capturados numa auto-estrada do Norte de Inglaterra. Um outro homem, também de 26 anos, foi detido em Liverpool. Estes novos suspeitos detidos juntam-se aos dois asiáticos que no sábado lançaram um veículo em chamas contra o aeroporto de Glasgow.
A polícia efectuou ontem buscas em Liverpool, Staffordshire e Glasgow, cidade onde, por precaução, as autoridades provocaram a explosão controlada de um veículo suspeito perto do hospital onde se encontra internado em estado crítico, com queimaduras graves, um dos homens envolvidos no ataque contra o aeroporto.
Para além dos aeroportos, a segurança foi reforçada nos caminhos-de-ferro e no metropolitano, numa tentativa de tranquilizar o público no início de mais uma semana de trabalho. Também nos EUA a segurança nos transportes foi reforçada e ontem um falso alarme chegou a fazer evacuar temporariamente um dos terminais do aeroporto JFK, em Nova Iorque.
ATAQUES "MAL EXECUTADOS"
O duplo atentado falhado em Londres e o ataque contra o aeroporto de Glasgow terão sido levados a cabo por militantes “determinados mas ingénuos”, segundo alguns dos principais peritos em terrorismo do Reino Unido. De acordo com fontes citadas pela imprensa britânica, tanto a escolha dos materiais usados para fabricar as bombas como os métodos usados pelos terroristas – incluindo o facto de terem estacionado carros-bomba em locais de estacionamento proibido, atraindo desta forma as atenções – mostram alguma falta de sofisticação por parte dos terroristas, muito embora não restem dúvidas quanto à sua determinação: as bombas visavam causar o maior número possível de vítimas. As mesmas fontes adiantam ainda que a escolha do aeroporto de Glasgow (Escócia) como alvo e o timing da operação indicam que os ataques foram deliberadamente planeados para coincidir com a tomada de posse de Gordon Brown, que é escocês.
PORTUGAL REFORÇA SEGURANÇA
Na sequência da ameaça terrorista no Reino Unido foi reforçada nos últimos dias a vigilância nos aeroportos portugueses, existindo uma maior preocupação quanto ao controlo de pessoas. “Foi aumentada a vigilância no interior dos aeroportos. Além disso, há um maior controlo no acesso de pessoas de fora do espaço Shengen”, declarou ao CM o general Leonel da Silva Carvalho, responsável pelo Gabinete Coordenador de Segurança, tutelado pelo Ministério da Administração Interna.
Aquele responsável acrescentou que, contudo, as medidas tomadas “não alteram a rotina habitual, nem são visíveis”. “O Gabinete Coordenador de Segurança não recebeu orientações específicas sobre a situação”, adiantou. Recorde-se que a segurança já tinha sido reforçada por causa do início da Presidência portuguesa da UE.
SAIBA MAIS
- 7 conspirações terroristas foram travadas pela polícia do Reino Unido desde 2004, incluindo um plano para destruir aviões com explosivos líquidos.
- 200 células terroristas estão actualmente activas no Reino Unido, com um total de cerca de 1600 membros. Os atentados falhados dos últimos dias foram obra de uma célula desconhecida.
Sequestro Em Janeiro deste ano a polícia travou um plano terrorista para sequestrar um militar muçulmano britânico e gravar em vídeo a sua execução. Cinco suspeitos foram detidos e acusados.
IMITADORES
A 21 de Julho de 2005, duas semanas após os atentados de Londres, quatro terroristas tentaram repetir os ataques, mas falharam. Estão actualmente a ser julgados.
AVIÕES
Em Agosto do ano passado foi desmantelada em Londres uma célula terrorista que tencionava usar explosivos líquidos para destruir aviões rumo aos EUA.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)