Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Polícia morto em Paris era muçulmano

Ahmed Merabet foi um dos polícias mortos no ataque terrorista à redação do ‘Charlie Hebdo’.
C.C. 9 de Janeiro de 2015 às 16:02
Massacre em jornal francês faz 12 mortos

O primeiro polícia assassinado pelos terroristas com motivações islâmicas que, na quarta-feira, atacaram a redação do jornal francês Charlie Hebdo e mataram 12 pessoas era muçulmano. Ahmed Merabet tinha 42 anos, era casado e na manhã do massacre estava a vigiar o 11º bairro de Paris, a pé.

Quando os terroristas chegaram perto de Ahmed Merabet o polícia, que já tinha sido atingido por um tiro, estava deitado no chão e levantou a mão para pedir clemência. Um dos irmãos Kouachi perguntou: "Queres matar-me?", o agente da autoridade respondeu que não mas, sem piedade, foi executado, como se pode ver e ouvir no vídeo que está a circular na Internet.

Além de Ahmed Merabet, os terroristas mataram mais um polícia, oito jornalistas e dois civis.

Polícia homicídio morte paris muçulmano ahmed merabet vítima mortal ataque terrorismo charlie hebdo
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)