Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Portuguesa é candidata a deputada pelo partido de Sarkozy

A portuguesa Alexandra Custódio, de 50 anos, é pela primeira vez candidata às eleições legislativas em França, pela circunscrição de Saint-Étienne, perto de Lyon, nas listas da UMP, o partido do Presidente Nicolas Sarkozy.
4 de Fevereiro de 2012 às 11:01
Portuguesa pertence ao partido de Sarkozy
Portuguesa pertence ao partido de Sarkozy FOTO: d.r.

A ex-autarca, que trabalhou na geminação da cidade de Saint-Étienne com Oeiras, disse à agência Lusa que, embora tenha pela frente "um combate muito difícil", está "muito motivada" para "passar à acção".

Alexandra Custódio chegou a França com seis anos, com os irmãos e com a mãe, trazida de táxi por um primo a quem o seu avô paterno pagou a viagem: "O meu pai veio embora de Portugal em busca de aventura. Tinha 25 anos, queria conhecer o sonho americano, que, naquela altura, e para os portugueses, era a França. O meu avô mandou-nos vir ter com ele", contou.

A família passou um ano e meio em Perpignan, no sul do país, e mudou-se depois para Saint-Étienne, quase 500 quilómetros a norte, perto de Lyon. "Foi até hoje". Alexandra cresceu a ver o trabalho do pai no movimento associativo da comunidade e chegou à política através da Associação Cultural Portuguesa de Saint-Étienne, que dirigiu.

"Foi devido ao trabalho que desenvolvi enquanto dirigente associativa que em 2001 o presidente da Câmara, Michel Thiollière, cujo partido integrava as listas do que é agora a UMP, me convidou para concorrer. Ganhámos as eleições e fui conselheira municipal durante sete anos", afirmou.

A agora candidata assumiu funções na gestão do trânsito e do estacionamento em Saint-Étienne e considera que levou a cabo "tarefas de muita responsabilidade, que marcaram a diferença na vida das pessoas daquela cidade".

"Quando aceito um desafio não é para cortar fitas, é para investir, é para trabalhar. Gosto das pessoas, gosto de estar perto, de participar. Fiz coisas de grande relevo na cidade ao nível na reabilitação urbana e do alojamento, por exemplo", acrescentou.

Quando a UMP perdeu as eleições autárquicas Alexandra Custódio não perdeu a vontade de continuar a fazer política: "Faz-se política a partir do momento em que se sente preocupação pela vida das pessoas, quando se quer intervir. Quando se perde eleições perde-se, mas a vontade de continuar a trabalhar mantém-se", disse.

Em Março de 2011 concorreu às eleições cantonais e perdeu contra a Frente Nacional, o partido de extrema-direita, dirigido por Marine Le Pen. Agora volta à carga. Quer "passar à acção" e "continuar a missão de dar peso e força à comunidade portuguesa".

O cenário, diz, "é muito difícil". O concorrente, o deputado socialista Jean-Louis Gagnaire, é "bom candidato" e "está presente no terreno". E na equação é preciso também pôr as eleições presidenciais.

"O resultado das presidenciais (a primeira volta em Abril, a segunda em maio) vai ter muita influência. Se Nicolas Sarkozy for reeleito penso que terei mais hipóteses", acrescentou.

O Presidente francês aparece em segundo lugar nas últimas sondagens publicadas pelos jornais, atrás do candidato socialista, François Hollande, e é seguido pela candidata da Frente Nacional, Marine Le Pen, que está em terceiro nas intenções de voto dos franceses.

As eleições legislativas realizam-se a 10 e a 17 de Junho. Em França vivem mais de um milhão de portugueses e luso-descendentes, mas para as eleições legislativas apenas votam os que têm nacionalidade francesa.

Alexandra Custódio eleições legislativas em França Nicolas Sarkozy
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)