Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Presidente da Guatemala expulsa responsável da ONU contra a corrupção

Tribunal constitucional já suspendeu decisão de Jimmy Morales.
27 de Agosto de 2017 às 18:50
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
Jimmy Morales
O Presidente da Guatemala, Jimmy Morales, ordenou este domingo a expulsão imediata do país do magistrado colombiano Ivan Velasquez Gomez, que dirige uma missão das Nações Unidas contra a corrupção ao Estado guatemalteco.

"Em nome do Presidente da República, do interesse do povo da Guatemala e do reforço do Estado de direito e das instituições, declaro Ivan Velasquez Gomez `pernona non grata´. Ordeno que abandone imediatamente a República da Guatemala", anunciou o Presidente daquele país num curto vídeo difundido pelas redes sociais.

Ivan Velasquez dirige a Comissão Internacional contra a Impunidade na Guatemala, um organismo das Nações Unidas criado em 2006 para erradicar a corrupção e das atividades mafiosas no seio do Estado. 

Na quinta-feira, Velasquez e a Procuradora-Geral da Guatemala, Thelma Aldana, apresentaram uma ação no Supremo Tribunal para levantar a imunidade do Presidente Morales, suspeito de financiamento ilegal na campanha eleitoral de 2015.

Na sua mensagem em vídeo, o Presidente guatemalteco anunciou também a demissão do ministro dos Negócios Estrangeiros do seu país, Carlos Raul Morales, que na sexta-feira recusou exigir a expulsão de Ivan Velasquez Gomez no decurso de um encontro em Nova Iorque com o secretário-geral da ONU, António Guterres.

No final dessa reunião, as Nações Unidas reiteraram, em comunicado, que mantinham a confiança em Ivan Velasquez Gomez.

Em 2015, o organismo internacional e o Ministério Público guatemalteco revelaram um escândalo de corrupção ligado ao sistema alfandegário e fiscal que levou à demissão e posterior detenção do Presidente à época, Otto Pérez.

Jimmy Morales, um antigo ator cómico e sem experiência política, ganhou as eleições presidenciais com a promessa de erradicar a corrupção, aproveitando o descontentamento popular contra os políticos tradicionais.

Tribunal da Guatemala suspende ordem presidencial
O Tribunal Constitucional da Guatemala suspendeu hoje a ordem do Presidente Jimmy Morales de expulsar um magistrado colombiano que lidera uma missão das Nações Unidas contra a corrupção no país.

O presidente do tribunal, Francisco de Mata, declarou aos jornalistas que foi autorizada a proteção provisória de Ivan Velásquez e suspensa a decisão do Presidente da Guatemala, na sequência de um recurso interposto contra a expulsão do magistrado colombiano, que reclamou na sexta-feira o levantamento da imunidade do chefe de Estado guatemalteco, suspeito de financiamento ilegal da sua campanha eleitoral, em 2015.

Ivan Velásquez dirige a Comissão Internacional contra a Impunidade na Guatemala, um organismo das Nações Unidas criado em 2006 para acabar com a corrupção e as atividades mafiosas no Estado da Guatemala.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)