Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Presidente do Equador sobre Assange: “Fez da embaixada um centro de espionagem”

Lenin Moreno nega desejo de vingança por causa de denúncias de corrupção.
Francisco J. Gonçalves 16 de Abril de 2019 às 01:30
Gato de Julian Assange foi retirado da embaixada do Equador
Julian Assange
Assange com o seu skate
 Julian Assange detido em Londres
Lenin Moreno
Gato de Julian Assange foi retirado da embaixada do Equador
Julian Assange
Assange com o seu skate
 Julian Assange detido em Londres
Lenin Moreno
Gato de Julian Assange foi retirado da embaixada do Equador
Julian Assange
Assange com o seu skate
 Julian Assange detido em Londres
Lenin Moreno
O presidente do Equador negou que a vingança e as pressões externas tenham ditado a decisão de entregar o fundador do WikiLeaks à polícia britânica.

Em entrevista ao ‘The Guardian’, Lenin Moreno acusou Julian Assange de ter transformado a embaixada equatoriana em Londres "num centro de espionagem".

"Qualquer tentativa de destabilizar é um ato condenável, porque somos uma nação soberana e respeitadora das políticas de cada país", afirmou Moreno, frisando que Assange "era um hóspede [há sete anos] e foi tratado dignamente", mas não soube respeitar quem o acolhia.

O presidente equatoriano garante que a sua decisão em nada foi influenciada por pressões dos EUA, que querem julgar Assange por divulgar ficheiros secretos.

Garantiu igualmente que não se quis vingar pela divulgação de uma trama de subornos que o envolve a ele e à sua família, nem pela publicação de fotografias privadas, como uma em que surge a comer lagosta ao pequeno-almoço num hotel de luxo enquanto os equatorianos passam privações.

Moreno disse ainda que só permitiu a detenção do asilado australiano depois de obter garantias de que não será extraditado para um país onde seja torturado ou morto.

PORMENORES
Detenção foi ilegal
A advogada de Assange nega que o seu cliente tenha abusado das condições de asilo e acusa o Equador de "um ato ilegal" ao permitir a entrada da polícia britânica na embaixada.

Proteção europeia
Dois deputados alemães e uma deputada espanhola apelaram ontem à União Europeia para oferecer asilo a Assange a fim de evitar a sua extradição.

Ataques informáticos
O governo equatoriano afirma que os ataques informáticos ao governo duplicaram desde a detenção de Assange.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)