Primeira-ministra inglesa responde a ‘ataque’ de Trump

O presidente norte-americano enganou-se lançou farpas à Theresa May errada, após polémica com vídeos antimuçulmanos.
30.11.17
  • partilhe
  • 2
  • +

Depois da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, ter condenado Donald Trump pela publicação de três vídeos antimulçumanos no Twitter, o presidente dos EUA respondeu e lançou farpas... à Theresa May errada. Entretanto a primeira-ministra inglesa já reagiu.

"Theresa, não se concentre em mim, concentre-se é no terrorismo radical islâmico destrutivo que está a acontecer no Reino Unido. Nos por cá estamos bem!", escreveu Trump no Twitter mas, por lapso, identificou a mulher errada, Theresa Scrivener. O erro foi corrigido alguns minutos depois.

Toda a polémica estalou depois de Donald Trump ter ‘retweetado’ imagens de extrema violência que mostram um adolescente a ser empurrado de um telhado e a ser morto à pancada e migrantes a agredirem um rapaz de muletas. Os três vídeos tinham sido originalmente publicados po Jayda Fransen, líder do movimento de extrema-direita inglês ‘Britain First’, facto que um porta-voz de Downing Street disse ser "errado".

Depois da resposta de Trump, a primeira-ministra do Reino Unido reagiu oficialmente. "O facto de trabalharmos juntos não significa que tenhamos de ter medo de dizer o que pensamos quando os Estado Unidos estão errados e de sermos muito claros. Tenho a certeza que retweetar algo do Britain First é errado de se fazer", considerou Theresa May.

"É uma organização que promove o ódio. Procura dividir e criar a dúvida entre os membros da nossa comunidade. E opõe-se aos valores que partilhamos como nação. Valores de respeito tolerância e de decência. Quanto ao Islamismo radical, os muçulmanos ingleses são cidadão pacíficos e que respeitam a lei, que também são vítimas de atos de terror por parte da extrema-direita. Há quem conduza atos terroristas em nome do Islão, mas não é verdadeiramente em nome do Islão. Enquanto primeira-ministra, tenho muito clara a prioridade de lidar com a ameaça do terrorismo e do extremismo, venha ele de que fonte vier", defendeu.

pub

pub

Ver todos os comentários
Para comentar tem de ser utilizador registado, se já é faça
Caso ainda não o seja, clique no link e registe-se em 30 segundos. Participe, a sua opinião é importante!