Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
5

Primeira-ministra sueca forçada a demitir-se no dia da sua eleição

Chumbo do seu orçamento e do abandono dos aliados de coligação levaram à demissão.
Lusa 24 de Novembro de 2021 às 19:11
Magdalena Andersson
Magdalena Andersson FOTO: Getty Images
Menos de oito horas após a sua nomeação pelo Parlamento, a nova primeira-ministra sueca, Magdalena Andersson, foi forçada esta quarta-feira a renunciar ao cargo, depois do chumbo do seu orçamento e do abandono dos aliados de coligação.

"Há uma prática constitucional pela qual um Governo de coligação renuncia, quando um dos partidos o abandona. Não quero liderar um Governo cuja legitimidade seja questionada", disse a líder social-democrata, durante uma conferência de imprensa.

Na noite deste muito curto mandato, Andersson explicou que espera agora ser reeleita para o cargo numa posterior votação, procurando ter um Governo 100% social-democrata, sem depender de partidos extremistas.

Parlamento Primeira-ministra Magdalena Andersson Governo política governo (sistema) partidos e movimentos
Ver comentários