Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Primeiro cartoon sobre o Holocausto

O jornal Hamshahri, um dos cinco mais importantes do Irão, em associação com a Casa da Caricatura, começou esta segunda-feira a receber as inscrições para um concurso internacional de caricaturas sobre o Holocausto, naquilo que considera ser um teste ao Ocidente sobre a defesa da liberdade de expressão no que diz respeito ao genocídio nazi. Os primeiros desenhos já foram publicados.
13 de Fevereiro de 2006 às 15:15
Numa resposta à reprodução das polémicas imagens do Profeta Maomé na imprensa europeia, o concurso do 'Hamshahri, que tem por tema “Qual é o limite da liberdade de expressão ocidental?", está associado à Casa da Caricatura (www.irancartoon.com). Os primeiros cartoons sobre o Holocausto publicados neste site foram enviados pelo caricaturista Michael Leunig, que vive em Melbourne (Austrália), "por solidariedade para com o mundo muçulmano e para exercer a sua liberdade de expressão".
No primeiro, intitulado "Auschwitz 1942", vê-se um judeu, com um estrela de David e uma trouxa, a entrar num campo de concentração com um portão com a inscrição "O trabalho liberta". No segundo desenho, intitulado "Israel 2002", o mesmo homem, carregando uma arma, dirige-se para uma entrada que se assemelha a um campo de batalha, com a inscrição "A guerra traz a paz".
“Não pretendemos uma retaliação aos desenhos do profeta. Apenas queremos demonstrar que essa liberdade é restrita no Ocidente”, esclareceu o director executivo do jornal iraniano, Davood Kazemi.
Ver comentários