Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais

Informação foi avançada por Edouard Philippe durante comunicado.
18 de Março de 2019 às 16:50
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais
Primeiro ministro francês vai proibir protestos dos 'coletes amarelos' se identificar elementos radicais

O Primeiro-ministro francês avançou esta segunda-feira que a polícia vai proibir protestos dos "coletes amarelos" caso elementos radicais de grupos extremistas participem nas mesmas.

"A partir do próximo sábado, vamos proibir protestos de coletes amarelos nos bairros mais atingidos assim caso haja sinais da presença de grupos radicais e da sua intenção em causar danos", disse o primeiro-ministro Edouard Philippe durante comunicado.

Recorde-se que este sábado os manifestantes incendiaram um banco e vandalizaram inúmeras lojas e estabelecimentos na avenida Champs Elysees, em Paris. Este foi considerado até ao momento um dos dias mais violento no decorrer destes quatro meses de protesto contra o presidente Emmanuel Macron.

Ver comentários