Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Protestos violentos da extrema-direita húngara

As celebrações da revolução de 1848 foram ensombradas em Budapeste por manifestantes da extrema-direita e skinheads, que obrigaram a polícia a recorrer a canhões de água e gás lacrimogéneo.
17 de Março de 2007 às 00:00
A manifestação dos extremistas ocorreu após ter terminado uma concentração oficial e ordeira de 200 mil pessoas em frente à ponte Erzsébeth por ocasião do 159.º aniversário da revolução contra os Habsburgo. Os militantes da extrema-direita começaram a lançar garrafas e outros objectos contra a polícia quando tomaram conhecimento de que tinha sido detido um dos seus líderes, Gyorgy Budahazy, suspeito de ser a figura principal dos motins do ano passado e que estava a ser procurado há meses.
A polícia conseguiu dispersar os manifestantes e deteve dezenas deles.
Antes dos militantes da extrema--direita, centenas de manifestantes tinham-se concentrado no centro de Budapeste para protestar contra o governo de Ferenc Gyurcsany.
O primeiro-ministro tem estado sob fogo desde Setembro, quando foi divulgado um vídeo em que afirma ter mentido sobre o estado da economia com fins eleitorais.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)