Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

QI BAIXO TRAMA MÃE

Uma norueguesa de 24 anos, descrita por amigos e vizinhos como uma boa mãe, viu as suas filhas bebés serem-lhe retiradas por assistentes sociais por ter registado níveis baixos num teste de inteligência.
25 de Julho de 2003 às 00:00
Na noruega, oi das mães é decisivo
Na noruega, oi das mães é decisivo FOTO: epa
O drama de Svanhild Jensen, que vive em Kvaenangen, no Norte da Noruega, começou no passado mês de Abril , quando assistentes sociais levaram as suas filhas, de um e três anos de idade, para uma casa de acolhimento estatal após ela ter tido um resultado baixo (53) num teste de Quociente de Inteligência (QI). O caso foi levado a tribunal e o juiz considerou que as meninas deveriam ser retiradas à mãe.
Desesperada com a decisão, Svanhild submeteu-se a um novo teste de QI, desta feita levado a cabo por um especialista independente, no qual conseguiu obter 95, considerado normal . Agora o caso vai ser reapreciado por um tribunal de recurso e Svanhild espera reaver as filhas. Na Noruega é usual fazerem-se testes de QI para decidir se um progenitor tem condições de criar os filhos .
Ver comentários