Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Queda de avião provoca mais de 100 mortos

Todos os 113 passageiros, incluindo seis crianças, e tripulantes a bordo de um Airbus A320 das linhas aéreas da Arménia morreram ontem, quando o aparelho se despenhou no Mar Negro no meio de forte temporal.
4 de Maio de 2006 às 00:00
O avião, proveniente da capital arménia, Erevan, com destino a Sochi, famosa estância turística russa, efectuava uma segunda aproximação à pista, quando desapareceu dos radares do aeroporto. Segundo as autoridades russas, o avião despenhou-se no mar pelas 02h15 locais (23h15 de Lisboa) e encontra-se a uma profundidade de 300 metros e a cerca de cinco quilómetros da costa. As autoridades afastaram de imediato a hipótese de atentado terrorista ou falha mecânica, e o mau tempo que se fazia sentir na região, com chuvas torrenciais, ventos fortes e má visibilidade, parece ser a causa mais provável da tragédia.
Um porta-voz do Ministério das Emergências da Rússia afirmou que as equipas de resgate encontraram bagagem, coletes salva-vidas, partes de corpos, pedaços do avião e uma mancha de óleo flutuando no mar, no local do acidente.
O avião, da companhia aérea Armavia, fazia um voo curto de cerca de uma hora de duração a partir da capital arménia, Erevan. A bordo encontravam-se oito membros da tripulação e 105 passageiros, dos quais 78 arménios, 26 russos, uma ucraniana e uma georgiana.
A Rússia e a Arménia decretaram um dia de luto nacional sexta-feira, dia 5, em memória dos 113 mortos. A Arménia, país da maioria dos ocupantes do aparelho, prolongou o luto até sábado. Os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da Arménia, Robert Kotharian, sublinharam que se tratou de uma tragédia para os dois povos e enviaram condolências aos familiares das vítimas.
O aparelho acidentado começou a operar em Fevereiro de 2004 e já tinha cerca de 28 200 horas de voo e 14 400 voos. Até agora, e desde que começou a operar em Março de 1988, a Airbus já vendeu quase 2750 aparelhos da gama A320, que inclui os modelos A318, A319, A320 e A321.
Ver comentários