Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Queriam matar Obama

A polícia de Denver prendeu três homens e uma mulher que alegadamente planeavam assassinar o candidato democrata Barack Obama durante a Convenção Democrata que decorre na cidade. Os suspeitos, com ligações a grupos racistas, tinham na sua posse duas espingardas de alta precisão, uma delas equipada com mira telescópica.
27 de Agosto de 2008 às 00:32
Nathan Johnson  e Tharin Gartrell , dois dos quatro suspeitos de envolvimento no plano para assassinar Obama
Nathan Johnson e Tharin Gartrell , dois dos quatro suspeitos de envolvimento no plano para assassinar Obama FOTO: Jim Young / Reuters

Segundo a Imprensa, o plano dos assassinos estava perfeitamente delineado e até já tinham escolhido um ponto alto a partir do qual o atirador faria o disparo. O atentado estava marcado para amanhã, durante o discurso de aceitação da nomeação democrata por Obama, que terá lugar em Invesco Field, um estádio com capacidade para cerca de 75 mil pessoas, onde decorrerá o último dia da Convenção Democrata. O plano foi descoberto depois de a polícia ter mandado parar um dos suspeitos, Tharin Gartrell, que na madrugada de domingo conduzia "de forma errática" pela cidade. No veículo, além de droga, a polícia descobriu as duas espingardas, munições e coletes à prova de bala.

Horas depois, um segundo suspeito, Shawn Robert Adolf, que tem ligações a grupos supremacistas brancos, foi detido num hotel da cidade. Os outros dois, Nathan Johnson e Natasha Gromek, foram presos um pouco mais tarde nos arredores de Denver. Pelo menos um dos suspeitos terá confessado, estando o caso a ser investigado pelo FBI, Serviços Secretos e Divisão Antiterrorista.

HILLARY TENTA UNIR PARTIDO

Ontem, no segundo dia da Convenção Democrata, as atenções estavam todas voltadas para Hillary Clinton, a candidata derrotada por Obama nas primárias democratas, num duelo que dividiu o partido e cujas sequelas ainda hoje se fazem sentir. Não é de estranhar, por isso, que a tónica do discurso da ex-candidata tenha sido a necessidade de unir o partido com vista a apresentar uma frente unida nas presidenciais de Novembro – tarefa difícil quando muitos dos antigos apoiantes de Hillary já afirmaram publicamente que preferem apoiar o rival republicano John McCain a votar em Obama.

MICHELLE TROUXE PAIXÃO E EMOÇÃO

O ponto alto do primeiro dia da Convenção Democrata foi protagonizado por Michelle Obama, mulher do candidato, que lembrou as origens humildes do casal e as dificuldades por que passaram antes de realizarem o ‘sonho americano’. Falando "como mulher, como mãe e como filha", Michelle apaixonou por completo os delegados.

SOLTAS

PROCURADOR MINIMIZA

Apesar das detenções, o procurador distrital Troy Eid mostrou-se convencido de que "não existe qualquer ameaça credível" contra a vida do candidato democrata.

MARTIN LUTHER KING

O plano faz lembrar o assassinato de Martin Luther King Jr., o célebre activista dos direitos cívicos morto em Memphis, há 40 anos.

ANTECEDENTES RACISTAS

Shawn R. Adolf, um dos detidos, tem ligações a grupos supremacistas, incluindo o grupo motociclista ilegalizado ‘Sons of Silence’. O suspeito tem uma suástica tatuada no corpo.

 

Ver comentários