Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Rajoy vai ao Congresso falar sobre a Catalunha

Primeiro-ministro espanhol fala apenas 24 horas após Puigdemont discursar no parlamento regional.
10 de Outubro de 2017 às 10:57
Mariano Rajoy, presidente do governo de Espanha
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy, presidente do governo de Espanha
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy, presidente do governo de Espanha
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy
Mariano Rajoy
O primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, fala na quarta-feira à tarde no Congresso sobre o desafio independentista na Catalunha, apenas 24 horas após o líder catalão, Carles Puigdemont, discursar no parlamento regional.

Segundo a presidente da Câmara Baixa espanhola, Ana Pastor, que se afirmou preocupada com a situação que se vive na Catalunha, o pedido nesse sentido deu entrada já na Mesa do Congresso.

Carles Puigdemont tem previsto hoje comparecer no parlamento catalão, numa sessão que servirá, oficialmente, para analisar os resultados e efeitos do referendo catalão, mas que poderá resultar na declaração formal e unilateral de independência.

O chefe da Generalitat (governo regional da Catalunha) tem agendada a presença a partir das 18:00 (menos uma hora em Lisboa) no parlamento regional, numa sessão plenária tem como ponto único na ordem de trabalhos a análise da situação política na região na sequência do referendo pela independência de 01 de outubro - que o Tribunal Constitucional considerou ilegal.

Ainda que não conste da ordem de trabalhos, Puigdemont poderá declarar unilateralmente a independência da Catalunha, tal como consta nos prazos inscritos na lei do referendo, também considerada ilegal pela justiça espanhola.

Polícia catalã encerra parque junto ao parlamento de Barcelona
O parque Ciutadella de Barcelona, onde se encontra o parlamento autónomo da Catalunha, que hoje poderá ser palco da declaração unilateral de independência da região, vai ficar encerrado todo o dia por "motivos de segurança", informou a polícia regional.

O presidente da Generalitat (governo autónomo da Catalunha), Carles Puidgemont, por decisão própria, vai comparecer às 18h00 (17h00 em Lisboa) no parlamento local, em Barcelona, onde vai pronunciar-se sobre os resultados do "referendo" realizado no dia 01 de outubro, suspenso pelo Tribunal Constitucional.

De acordo com as posições que têm sido transmitidas nos últimos dias, Puigdemont poderá "proclamar a independência unilateral" da Catalunha.

Os Mossos d'Esquadra, corpo da polícia da região autónoma da Catalunha, estacionaram várias viaturas policiais frente às entradas do parque e junto do edifício do parlamento.

Fontes da polícia local disseram à EFE que o parque foi encerrado para garantir a segurança de todo o recinto e recordaram que na manifestação a favor da unidade de Espanha, realizada no passado domingo, um grupo de pessoas forçou a porta de acesso à Ciutadella de Barcelona.

Por outro lado, a organização política Assembleia Nacional Catalã (ANC) já comunicou que a concentração convocada pelo grupo de apoio à "declaração de independência", foi transferida para o Paseo de Lluis Companys, nas imediações do Parlamento e junto ao Tribunal Superior de Justiça da Catalunha.

O edifício do tribunal está sob a vigilância da Polícia Nacional, ordenada a prestar segurança por ordem judicial.

As plataformas políticas ANC e Òmnium Cultural convocaram uma manifestação para hoje à tarde para apoiarem a "declaração unilateral de independência".

Por outro lado, o grupo "Recortes Cero" está a organizar uma manifestação contra a "declaração unilateral de independência" por considerar que se trata de uma "imposição antidemocrática".

Os partidos políticos Ciudadanos, Partido Socialista da Catalunha (PSC) e Partido Popular da Catalunha (PPC) pediram à presidente do parlamento, Carme Forcadell, para garantir a segurança aos deputados nas zonas de acesso ao edifício, para que possam participar na sessão plenária marcada para hoje à tarde.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)