Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Reino Unido acusa Rússia por morte de mulher inglesa

Mulher terá sido envenenada com agente Novichok.
Ricardo Ramos 10 de Julho de 2018 às 13:05
Dawn Sturgess não resistiu ao agente tóxico
Dawn Sturgess não resistiu ao agente tóxico
Charlie Rowley
Dawn Sturgess não resistiu ao agente tóxico
Dawn Sturgess não resistiu ao agente tóxico
Charlie Rowley
Dawn Sturgess não resistiu ao agente tóxico
Dawn Sturgess não resistiu ao agente tóxico
Charlie Rowley
O governo britânico responsabilizou esta terça-feira a Rússia pela morte de Dawn Sturgess, a mulher contaminada com o agente de nervos Novichok na localidade britânica de Amesbury, que morreu no domingo à noite no hospital após lutar pela vida durante mais de uma semana.

O companheiro, Charlie Rowley, está em estado crítico e não deverá resistir aos próximos dias.

"A realidade é que a Rússia cometeu um ataque em solo britânico que resultou na morte de um cidadão britânico", disse terça-feira no Parlamento o ministro da Defesa, Gavin Williamson, apelando à condenação unânime da Rússia pela comunidade internacional.

Dawn e o companheiro foram encontrados inanimados na sua casa no dia 30 de junho. Inicialmente, as autoridades julgaram que tinham sido vítimas de uma overdose, mas os exames revelaram que tinham sido envenenados com o agente de nervos Novichok, o mesmo que deixou entre a vida e a morte o ex-espião russo Sergei Skripal e a filha, Yulia, na vizinha localidade de Salisbury.

A polícia, que está a investigar a morte de Dawn como homicídio, acredita que o casal terá encontrado e manuseado algum objeto contaminado deixado pelos autores do atentado contra os Skripal, cuja responsabilidade foi atribuída à Rússia. Moscovo nega qualquer envolvimento e lamentou a morte da mulher.
Rússia Gavin Williamson Amesbury Dawn Sturgess Novichok Charlie Rowley ministro da Defesa crime lei e justiça
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)