Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

ONU tem "provas credíveis" contra príncipe saudita no caso da morte do jornalista Khashoggi

Assinado pelo investigador Agnes Callamard, o documento diz que o jornalista foi vítima de uma "execução deliberada e premeditada".
19 de Junho de 2019 às 12:11
O jornalista Jamal Khashoggi
Jamal Khashoggi
O jornalista Jamal Khashoggi
Jamal Khashoggi
O jornalista Jamal Khashoggi
Jamal Khashoggi
Um relatório da ONU sobre o assassinato do jornalista dissidente Jamal Khashoggi diz que há provas credíveis que ligam o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohamed bin Salman, e outras figuras importantes do regime saudita ao crime que ocorreu na embaixada do reino em Istambul, na Turquia.

Assinado pelo investigador Agnes Callamard, o documento diz que Khashoggi foi vítima de uma "execução deliberada e premeditada", "uma execução extrajudicial pela qual o estado da Arábia Saudita é responsável à vista das leis internacionais dos direitos humanos". 

Riad, que recebeu o relatório de 100 páginas antes da sua divulgação, segundo a Reuters, ainda não reagiu às acusações. Porém, o reino tem negado todas as acusações de qualquer envolvimento de MBS no crime.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)