Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Risco de morrer de Covid-19 é três vezes maior para quem ressona

Condição está normalmente associada a diabetes, obesidade ou pressão arterial alta, tudo fatores que contribuem para que o novo coronavírus seja mais letal.
Correio da Manhã 15 de Setembro de 2020 às 15:22
Mulher na cama
Mulher na cama FOTO: Getty images

Um novo estudo revelou que as pessoas que ressonam correm três vezes maior risco de morte por covid-19 caso sejam internadas no hospital, em relação aos outros doentes infetados com o novo coronavírus.

A investigação, publicada no Sleep Medicine Reviwes, foi feita pela Universidade de Warwick, no Reino Unido e resulta de 18 estudos sobre apneia obstrutiva do sono e o novo coronavírus.

Os cientistas apuraram que quem sofre da primeira condição, que causa o ressono e os sentimentos de sufoco, quando os músculos relaxam e temporariamente bloqueiam o fluxo correto de ar nas vias respiratórias, durante o sono, estão em maior risco de serem hospitalizados ou mesmo morrerem ao terem Covid-19.

O risco é aumentado também porque quem sofre de apneia obstrutiva do sono, normalmente, sofre também de outras condições como diabetes, obesidade e pressão arterial alta, tudo problemas de saúde que aumentam o risco de morte pelo novo coronavírus (os chamados ‘grupos de risco’).

"São grupos de pacientes que têm de estar mais atentos ao facto da apneia obstrutiva do sono ser um risco adicional caso fiquem doentes com Covid-19. Devem garantir sempre que seguem o tratamento e tomam as máximas precauções para reduzir o risco, usando máscara, seguindo as normas de distanciamento e ser testado assim que sente os primeiros sintomas", avisa a investigadora responsável, a Dr.ª Michelle Miller.

Mais informação sobre a pandemia no site dedicado ao coronavírus - Mapa da situação em Portugal e no Mundo. - Saiba como colocar e retirar máscara e luvas - Aprenda a fazer a sua máscara em casa - Cuidados a ter quando recebe uma encomenda em casa. - Dúvidas sobre coronavírus respondidas por um médico Em caso de ter sintomas, ligue 808 24 24 24
Covid-19 saúde ciência e tecnologia economia negócios e finanças economia negócios e finanças
Ver comentários