Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

RUANDA VAI LIBERTAR 18 MIL SUSPEITOS DE GENOCÍDIO

O governo do Ruanda anunciou hoje que vai começar a libertar, esta semana, 18 mil prisioneiros envolvidos no genocídio de 1994, uma medida que visa aliviar as cadeias super povoadas do país.
29 de Janeiro de 2003 às 16:20
A intenção é de libertar até 40 mil prisioneiros, passando-os primeiro por “campos de solidariedade” durante dois mêses para serem re-educados antes de voltarem às suas casas. Entretanto, cerca de 2,500 reclusos foram dispensados dos campos de solidariedade e libertados por estarem doentes ou terem mais de 70 anos

Nas prisões ruandesas encontram-se cerca de 100 mil suspeitos de genocídio à espera de julgamento, tratam-se de casos que o sistema legal do país é incapaz de gerir.

Cerca de 800 mil ruandeses morreram em 1994 no espaço de três mêses, quando extremistas da minoria Utu, incluindo oficiais do exército governamental, organizaram o massacre de pessoas da etnia Tutsi e Utus moderados.
Ver comentários