Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

RÚSSIA 'DESAFIA' ESTADOS UNIDOS

Insistindo na sua posição, a Rússia afirmou ontem que os inspectores da ONU devem regressar o mais depressa possível ao Iraque, entrando em rota de colisão com os Estados Unidos, que exigem a aprovação prévia de uma resolução ‘dura’ ameaçando o Iraque de um ataque caso não cumpra.
4 de Outubro de 2002 às 23:25
A China afina o diapasão pela Rússia, defendendo a tentativa de uma solução pacífica. A esperança parece agora recair em França, que avançou com uma proposta em princípio aceitável pelos EUA e pela Rússia. Paris propõe a aprovação de duas resoluções separadas, uma sobre as inspecções, dando aos peritos mais poderes, e outra sobre o recurso à força.

Fontes diplomáticas afirmam que a Casa Branca não parece agradada com esta ideia, mas a Secretaria de Estado mostra-se bastante receptiva e pode influenciar os resistentes.

O chefe dos inspectores da ONU, Hans Blix, já fez saber que enquanto não se resolver esta questão não partirá para Bagdad. Blix encontrou-se ontem com responsáveis da administração norte-americana numa altura em que o Senado discute a resolução do recurso à força, que parece inevitável . O ministro da Defesa israelita, Benyamin Ben Eliezer, afirmou ontem que os EUA poderão lançar um ataque ao Iraque no fim do mês de Novembro.
Ver comentários