Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Rússia diz que guerra “será o fim da Ucrânia”

Conselheiro de Putin admite intervenção russa e diz que “não será um tiro na perna, mas na cara”.
Ricardo Ramos 10 de Abril de 2021 às 09:28
Rússia está a concentrar tropas, tanques e outros meios militares junto à fronteira com o Leste da Ucrânia
Rússia está a concentrar tropas, tanques e outros meios militares junto à fronteira com o Leste da Ucrânia FOTO: Reuters
Sete anos após a ocupação russa da Crimeia e o apoio militar de Moscovo aos separatistas pró-russos do Donbass, a Rússia e a Ucrânia parecem estar de novo à beira de um conflito armado, com Moscovo a acumular tanques e tropas na fronteira e a avisar que um eventual conflito “será o fim” do país vizinho.

Após um período de relativa acalmia no ano passado, o conflito no Leste da Ucrânia reacendeu-se, com ambos os lados a acusarem-se pelo reinício das hostilidades. O governo de Kiev diz que os separatistas apoiados por Moscovo mataram pelo menos 26 soldados governamentais desde janeiro, mais de metade do número total de baixas sofridas no ano anterior.

O reacender das hostilidades levou a Rússia a acusar a Ucrânia de “provocações constantes” e a concentrar milhares de tropas junto à fronteira. Esta quinta-feira, Dmitry Kozak, vice-chefe da Administração Presidencial russa, admitiu que Moscovo poderá ter de intervir militarmente na Ucrânia para defender a sua população, referindo-se à maioria pró-russa do Donbass. “Uma escalada seria o princípio do fim da Ucrânia. Não seria um tiro na perna, mas na cara”, ameaçou.

A UE está a acompanhar a situação com apreensão e os EUA alertaram que a Rússia já tem mais tropas concentradas na fronteira do que durante o conflito de 2014. O presidente Joe Biden garantiu “apoio inabalável” a Kiev e enviou dois navios de guerra para o mar Negro, num aviso a Putin. n *com agências
Ver comentários