Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

SADDAM QUIS QUESTIONAR OS JUÍZES

O ex-presidente iraquiano Saddam Hussein já está sob custódia das autoridades iraquianas será hoje presente a tribunal e vai conhecer hoje as acusações de que é alvo. Se for considerado culpado, poderá ser condenado à morte. Ontem, na sala de tribunal onde decorreu a transferência, Saddam procurou, desde logo colocar algumas questões.
1 de Julho de 2004 às 00:00
Aproxima-se a hora da verdade para Saddam Hussein
Aproxima-se a hora da verdade para Saddam Hussein FOTO: Ceerwan Aziz/Reuters
A transferência da custódia de Saddam ocorreu ontem de manhã em Bagdad, dois dias após o fim formal da ocupação americana e a transição da soberania para o novo governo iraquiano. A entrega de Saddam, longe dos olhares curiosos dos jornalistas, decorreu no tribunal onde o ex-ditador será julgado, na capital iraquiana.
Presentes na sala estavam os juízes e os advogados que participarão no processo, um dos quais, Salem Chalabi, contou aos jornalistas que Saddam foi trazido para a sala sem algemas, aparentando boa saúde e descontracção. “Disse ‘bom dia’ e perguntou se podia fazer algumas perguntas, julgo que teriam a ver com se teria ou não direito a um advogado. Disseram-lhe para esperar até amanhã [hoje]”, afirmou Chalabi.
Juntamente com Saddam, foram entregues onze dos seus antigos colaboradores mais próximos, incluindo o vice-primeiro-ministro Tareq Aziz e Ali Hassan al-Majid, conhecido como ‘Ali, o Químico’, por ter mandado usar armas químicas contra a minoria curda, em 1988, matando mais de cinco mil pessoas. Segundo Chalabi, alguns deles, incluindo o ‘Químico’, deram sinais de grande nervosismo.
Saddam e os seus colaboradores deverão regressar ao tribunal hoje de manhã, para conhecerem formalmente as acusações. No caso do ex-ditador, ele deverá ser responsalizado por inúmeras atrocidades, incluindo os massacres contra a minoria curda em 1988, a invasão do Koweit em 1990 e a guerra Irão-Iraque, na década de 80.
Em declarações a um jornal italiano, o ministro iraquiano da Justiça reafirmou ontem que, se for considerado culpado, Saddam poderá ser condenado à pena de morte. “Pelos crimes contra a Humanidade, genocídio e utilização de armas químicas podemos aplicar a pena capital”, reiterou Malek al-Hassan.
Ver comentários