Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

SADDAM REJEITA MOTIVOS DE INVASÃO

O presidente iraquiano, Saddam Hussein, apelou a Washington para que não invada o Iraque, alegando que o seu país não cometeu qualquer agressão contra os EUA.
27 de Fevereiro de 2003 às 15:00
O responsável iraquiano, em entrevista à estação de televisão norte-americana CBS, exibida na quarta-feira, salientou que o Iraque não cometeu “agressões contra os EUA”.

Saddam, entrevistado pelo jornalista Dan Rather, questionou a legitimidade de uma guerra levada a cabo por “alguém dotado de poder” e “apoiado por enormes empresas ou empresas multinacionais”.

Reportando-se à Guerra do Golfo, de 1991 – que ocorreu na sequência da invasão iraquiana ao Koweit, Saddam defendeu que o seu país não sofreu qualquer derrota. Neste sentido, justificou que a declaração avançada por George Bush – o então presidente dos EUA, e pai de George W. Bush, que ocupa actualmente o cargo – sobre o facto de a guerra ter atingido o seu objectivo e que, por essa razão, tinha chegado ao fim, não significava, só por si, a derrota do Iraque.
Ver comentários