Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Saddam rejeita Tribunal

O antigo presidente do Iraque Saddam Hussein recusou ontem responder ao Tribunal na primeira audiência do seu segundo julgamento, no qual é acusado de genocídio por ter morto quase 180 mil curdos no final dos anos oitenta. Desafiador, o ex-ditador recusou declarar-se culpado ou inocente perante o “Tribunal de ocupação”, afirmando que a sua resposta exigiria “muitos livros”.
22 de Agosto de 2006 às 00:00
“Você sabe o meu nome”, afirmou Saddam quando o juiz Abdullah ali al-Aloosh, cumprindo a formalidade legal, lhe pediu para se identificar. A acusação do novo julgamento tenta provar que Saddam usou armas químicas sobre a minoria curda na chamada campanha de Anfal.
Junto ao Tribunal, dezenas de iraquianos manifestaram-se contra a lentidão do julgamento, mas o vice-primeiro-ministro, o curdo Barham Salil, considerou que Saddam está a ter direito à justiça que negou a outros.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)