Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Sarkozy reunido com Medvedev

O Presidente da França, Nicolas Sarkozy, considerou esta terça-feira “normal” que a Rússia queira “defender os interesses dos russófonos” fora das suas fronteiras, reiterando, contudo, a necessidade de Moscovo respeitar a integridade territorial da Geórgia.
12 de Agosto de 2008 às 14:03
O presidente russo, Dmitri Medvedev, anunciou hoje o fim das operações militares na Geórgia
O presidente russo, Dmitri Medvedev, anunciou hoje o fim das operações militares na Geórgia FOTO: Reuters

“É perfeitamente normal que a Rússia queira defender os seus interesses,  bem como os interesses dos russos na Rússia e dos russófonos no exterior da Rússia”, afirmou o presidente francês no início de um encontro com o seu homólogo russo, Dmitri Medvedev, em Moscovo.   

“Também é normal que a comunidade internacional queira garantir a integridade,  a soberania e a independência da Geórgia”, acrescentou Sarkozy, classificando como uma “boa notícia” o anúncio feito hoje por Medvedev a dar conta do fim das hostilidades na Geórgia.

Moscovo justificou a intervenção militar na Geórgia com a necessidade de proteger as suas forças de manutenção de paz e os seus cidadãos na Ossétia do Sul, na sequência da ofensiva militar lançada pela Geórgia na região separatista pró-russa na madrugada da passada sexta-feira.

ACNUR PREOCUPADO COM DESLOCADOS

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR) manifestou hoje preocupação com os 100 mil deslocados causados pelo conflito entre a Rússia e a Geórgia. De acordo com os números fornecidos pelos governos georgiano e russo,  cerca de 30 mil pessoas fugiram da Ossétia do Sul, com cerca de 70 mil habitantes, para a Ossétia do Norte, na Rússia, sendo que outras 12 mil pessoas estão deslocadas no interior da região separatista georgiana.

O Gabinete de Coordenação dos Assuntos Humanitários da ONU (OCHA) reiterou  o apelo para que sejam abertos dois corredores humanitários na Ossétia do Sul, um para norte e outro para sul, de forma a permitir aos civis fugirem das zonas de conflito e facilitar a passagem dos trabalhadores humanitários para terem acesso às populações, aos feridos e a todos os que precisam de ajuda.

REUNIÃO DE MINISTROS DA UE

Entretanto, a presidência francesa da União Europeia (UE) marcou para amanhã, quarta-feira, uma reunião extraordinária dos ministros dos Negócios Estrangeiros da UE, para avaliar os resultados dos esforços de mediação que está a realizar com a Rússia e a Geórgia.

O chefe da diplomacia francesa, Bernard Kouchner, que manteve nos últimos dias  contactos com as autoridades georgianas e russas em Tbilissi e Moscovo, dará a conhecer aos seus homólogos da UE os esforços de mediação, bem como o resultado das conversações entre o Presidente francês, Nicolas Sarkozy, e o seu homólogo russo, Dmitri Medvedev, em Moscovo.

Ver comentários