Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Segunda volta só com um candidato

A segunda volta das eleições presidenciais afegãs terá lugar no próximo sábado mesmo só com um candidato em jogo, assegurou ontem a Comissão Eleitoral do país após o anúncio da desistência do candidato da oposição, Abdullah Abdullah.
2 de Novembro de 2009 às 00:30
Sem adversário, o presidente Hamid Karzai tem a reeleição garantida
Sem adversário, o presidente Hamid Karzai tem a reeleição garantida FOTO: Ahmad Masood/Reuters

Conforme já deixara entender na véspera, o ex-ministro dos Negócios Estrangeiros confirmou ontem a decisão de não disputar a segunda volta contra o presidente, Hamid Karzai, por não terem sido cumpridas as exigências que considerava necessárias para assegurar uma votação imparcial, incluindo o afastamento do presidente da Comissão Eleitoral. "Tenho reservas muito fortes quanto à credibilidade do processo eleitoral", afirmou ontem Abdullah, de lágrimas nos olhos, perante dezenas de apoiantes.

O presidente Karzai manifestou-se "desiludido" pela desistência do adversário e afirmou-se disposto a acatar qualquer decisão da Comissão Eleitoral sobre a realização da segunda ronda. Esta acabou mais tarde por se pronunciar a favor da realização do acto eleitoral, mesmo só com um candidato. "Temos de respeitar a lei, e a lei é clara: o prazo para a retirada de candidaturas já terminou. Consequentemente, temos de realizar a segunda volta", afirmou um porta-voz daquele órgão.

Fontes diplomáticas consideram que a desistência de Abdullah poderá colocar em causa a legitimidade do futuro governo afegão, após as alegações de fraude que mancharam a primeira ronda, a 20 de Agosto.

BARACK OBAMA ADIA DECISÃO

O presidente norte-americano, Barack Obama, não deverá anunciar a nova estratégia para o Afeganistão antes de partir para o seu périplo pela Ásia, no próximo dia 11, revelou ontem fonte da Casa Branca. O presidente tem-se reunido regularmente com os seus conselheiros militares, mas não parece ter pressa em anunciar a sua decisão – que poderá passar pelo envio de mais 40 mil homens para o terreno – apesar do aumento de baixas entre as forças norte-americanas, que em Outubro atingiu o seu maior número (57) desde o início da guerra, em 2001. Fonte da Casa Branca não esclareceu se Obama tenciona anunciar a sua decisão durante o périplo pela Ásia, que vai de 11 a 20 de Novembro, ou só depois de regressar aos EUA.

PORMENORES

TALIBAN AMEAÇAM

A guerrilha taliban considerou ontem que o abandono de Abdullah Abdullah "não tem qualquer significado" e ameaçou intensificar a violência durante a segunda volta.

EUA MANTÊM APOIO

A secretária de Estado norte--americana, Hillary Clinton, assegurou que os EUA continuarãoa apoiar "o próximo presidentedo Afeganistão e o povo" e adiantou que cabe às autoridadesafegãs decidirem qual a melhor forma de concluir o processo.

NATO NÃO COMENTA

A decisão de realizar a segunda volta apesar da desistência de Abdullah implica que os militares da NATO arrisquem a vida para garantir a segurança de uma eleição cujo vencedor já é conhecido. Ontem, a NATO recusou comentar este cenário: "Não somos uma entidade política, estamos aqui para garantir a segurança do acto eleitoral", afirmou um porta-voz.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)