Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

Sem meios contra tráfico de droga

A Cidade da Praia acolhe hoje e amanhã, uma cimeira da Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) e Mauritânia sobre o tráfico de droga e criminalidade organizada. Cabo Verde e Guiné-Bissau, dois países de língua oficial portuguesa que se tornaram numa plataforma giratória no tráfico de estupefacientes da América do Sul para a Europa, admitem não ter meios para o combater.
28 de Outubro de 2008 às 00:30

O gabinete da ONU Contra a Droga e o Crime alerta num relatório, que as maiores apreensões de droga feitas em Portugal estão ligadas à crescente importação a partir da África Ocidental, onde estão incluídos países como Cabo Verde e Guiné.

O relatório refere ainda que Cabo Verde tem feito um esforço para combater o tráfico de droga mas a falta de meios não ajuda. Em Bissau, factores como a falta de controlo das fronteiras, as forças de segurança mal equipadas e a ausência de estabelecimentos prisionais têm sido apontados por organizações internacionais como razões para se ter transformado numa placa giratória para a entrada de cocaína na Europa.

Ver comentários