Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Separam detidos em rede corrupta

Juiz ordena transferência de ex-secretário-geral do PP, Francisco Granados, para evitar o seu contacto com outros detidos na operação ‘Púnica’.
Isabel Faria 2 de Novembro de 2014 às 19:30
Ex-secretário do PP foi para Estremera
Ex-secretário do PP foi para Estremera FOTO: DR

A Justiça espanhola está a apertar o cerco aos cabecilhas da rede de corrupção regional apanhados na operação ‘Púnica’ e ontem ordenou a transferência do ex-secretário geral do Partido Popular em Madrid, Francisco Granados, da prisão de Soto del Real para a de Estremera. Também o seu sócio e amigo de infância, David Marjaliza, foi mudado para a penitenciária de Aranjuez.

Segundo a imprensa espanhola, com estas transferências o juiz Eloy Velasco pretende evitar contactos entre os vários detidos que nos últimos dias entraram em Soto del Real. Entre eles estão o governador de Leão, Marcos Martínez, e o atual presidente da Câmara de Valdemoro, José Carlos Boza (ambos do PP), também eles acusados de integrarem a "organização criminosa" que durante vários anos adjudicou obras públicas no valor de 250 milhões de euros a troco de comissões ilegais.

A Granados são imputados os crimes de lavagem de dinheiro, organização criminosa, tráfico de influências, suborno, peculato, abuso de confiança e fraude. De acordo com a ordem judicial, o antigo autarca de Valdemoro manteve contas bancárias que as autoridades suíças relatam como suspeitas de branquear capitais. Granados admitiu a titularidade de uma conta na Suíça entre 1996 e 2000, que não declarou ao Fisco, mas acusa Marjaliza de a ter mantido até 2007, apesar da sua insistência para que fosse encerrada. Esta alegação não evitou que fosse posto em prisão preventiva sem direito a fiança.

separam detidos rede corrupta Partido Popular
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)