Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Sérvios votam com Europa no horizonte

Mais de seis milhões e meio de sérvios são hoje chamados às urnas para umas eleições legislativas (as primeiras desde a separação do Montenegro, em Junho de 2006), onde se joga o futuro imediato do país mas também da região separatista do Kosovo. Sob administração da ONU desde 1999, esta região está dividida entre uma maioria albanesa desejosa de independência e uma minoria sérvia temerosa de represálias étnicas.
21 de Janeiro de 2007 às 00:00
A campanha foi renhida e os sérvios, segundo as sondagens, estão muito divididos
A campanha foi renhida e os sérvios, segundo as sondagens, estão muito divididos FOTO: Nikola Solic, Reuters
Estão em confronto 20 partidos e coligações, num total de 3799 candidatos, mas a maioria dos 250 assentos do Parlamento deverão ficar nas mãos do Partido Democrata (DS), do presidente Boris Tadic e do ex-primeiro-ministro Bozidar Djelic), e do Partido Radical Sérvio (SRS), de Vojislav Seselj (preso em Haia por crimes de guerra, deixou a chefia entregue a Tomislav Nikolic). A terceira força é o Partido Democrático da Sérvia (DSS), do actual primeiro-ministro, o nacionalista moderado Vojislav Kostunica.
As sondagens dão entre 28 a 30 por cento dos votos aos dois principais partidos que, como provou a campanha eleitoral, estão separados, não tanto por uma ideologia como por um programa. Um dos pontos mais claros de divisão é a política europeia. O SRS é o mais eurocéptico dos grande partidos, e ganhou pontos depois de a União Europeia (UE) suspender as negociações de aproximação à Sérvia (em Maio de 2006) para castigar Belgrado por não entregar à Justiça o general Ratko Mladic, em fuga há mais de dez anos.
FUTURO DO KOSOVO EM JOGO
O facto de a UE apoiar as pretensões independentistas do Kosovo tornou ainda mais difícil a tarefa da DS em defender a Europa, e poderá ditar a sua derrota eleitoral e aumentar a taxa de abstenção.
Recorde-se que estas eleições, previstas para finais do ano, foram antecipadas depois de, em Outubro de 2006, ser adoptada uma nova Constituição na qual o Kosovo é declarado parte inalienável do território sérvio. A favor dos europeístas poderá jogar o facto de a vizinha Roménia e a Bulgária terem aderido recentemente ao ‘clube’ europeu, deixando a Sérvia cada vez mais isolada.
ELEIÇÕES NA SÉRVIA
Mais de seis milhões de eleitores vão hoje às urnas no primeiro escrutìnio após a traumática separação da República do Montenegro, em 2006.
ÚLTIMAS SONDAGENS
TOMISLAV NIKOLIC (54 anos, Partido Radical Sérvio): 31%
O dirigente do SRS rejeita a independência do Kosovo e é eurocéptico.
VOJISLAV KOSTUNICA (62 anos, P. D. da Sérvia/Nova Sérvia): 21,3%
Tem feito eco de alguma retórica nacioanalista sobre um Kosovo independente.
BOZIDAR DJELIC (41 anos, Partido Democrático): 20,4%
Economista pró-europeu convicto acredita na rápida adesão à UE.
RADIOGRAFIA DO PAÍS
Superfície: 88.361 km2
População (sem Kosovo): 7.500.000
População Kosovo: 2.000.000
Rendimento per capita: 4.028 dólares
Taxa de desemprego: 31,6%
Taxa de inflação: 6,6%
Esperança de vida: 74 anos
Internautas: 1,4 milhões
Fonte: Comissão eleitoral da República da Sérvia, Gallup (sondagens e agências) TFV/’El Mundo’
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)