Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Seul diz que míssil intercontinental norte-coreano não está totalmente desenvolvido

Coreia do Norte assegurou que míssil lançado é capaz de "atingir qualquer parte do mundo.
Lusa 11 de Julho de 2017 às 08:36
deputado, Coreia do Norte, Wan-young, Seul, Yi, NIS, Partido da Liberdade, Yonhap, Pyongyang, Estados Unidos, armamento, distúrbios, guerras e conflitos, política
deputado, Coreia do Norte, Wan-young, Seul, Yi, NIS, Partido da Liberdade, Yonhap, Pyongyang, Estados Unidos, armamento, distúrbios, guerras e conflitos, política FOTO: Getty

Os serviços secretos sul-coreanos acreditam que o míssil intercontinental lançado recentemente pela Coreia do Norte não está totalmente desenvolvido porque o país ainda não domina tecnologias essenciais, afirmou esta terça-feira um deputado em Seul.

Yi Wan-young, do Partido da Liberdade, que forma parte do comité parlamentar de inteligência, disse que os responsáveis máximos daqueles serviços (NIS) assumem que o projéctil norte-coreano ainda não pode reentrar correctamente na atmosfera e carece ainda de um sistema de orientação.

Estes dois sistemas são essenciais para que um míssil intercontinental possa atingir o alvo escolhido.

"Tendo em conta que a Coreia do Norte não tem instalações para testar tecnologia de reentrada, o NIS acredita que não consegue ainda dominar esta tecnologia", disse Yi, citado pela agência noticiosa sul-coreana Yonhap.

O deputado acrescentou que o domínio pleno deste sistema é necessário antes do desenvolvimento de elementos electrónicos de orientação do míssil, que são os que permitem alterar a trajectória para atingir o alvo.

A Coreia do Norte assegurou que o seu míssil intercontinental, lançado no passado 04 de julho, é capaz de "atingir qualquer parte do mundo", algo que Yi classificou de "alarido sem fundamento".

Pyongyang também afirmou que o projéctil pode transportar uma ogiva nuclear, algo que é questionado por vários especialistas que acreditam que o país ainda não é capaz de miniaturizar bombas atómicas.

O exército sul-coreano reconheceu a capacidade que o míssil parece ter para percorrer entre sete mil e oito mil quilómetros, o suficiente para alcançar os Estados Unidos.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)