Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Síria: mais de 100 civis foram executados

As forças de segurança sírias e as milícias pró-regime executaram mais de uma centena de civis e combatentes rebeldes em ataques desde o final de 2011, de acordo com a organização de defesa dos Direitos Humanos, Human Rights Watch.
9 de Abril de 2012 às 08:56
As forças de segurança sírias e as milícias pró-regime executaram mais de uma centena de civis e combatentes rebeldes em ataques desde o final de 2011
As forças de segurança sírias e as milícias pró-regime executaram mais de uma centena de civis e combatentes rebeldes em ataques desde o final de 2011 FOTO: Reuters

Muitas das execuções sumárias e extrajudiciais foram conduzidas no mês passado e pelo menos 85 mortos eram residentes que nunca participaram nos conflitos, incluindo mulheres e crianças.

A HRW, que tem sede em Nova Iorque e faz as alegações num relatório de 25 páginas assente nos relatos de testemunhas, exortou o Conselho de Segurança das Nações Unidas a agir para garantir que esses crimes são documentados.

"Numa desesperada tentativa de 'esmagar' a revolta, as forças sírias executaram pessoas a sangue-frio, civis e combatentes da oposição da mesma forma", revelou Ole Solvang, especialista da organização internacional para a defesa dos direitos humanos num comunicado.

O relatório indica ainda que muitas das execuções ocorreram nas províncias de Homs e Idlib, entre as quais as de "pelo menos 47 pessoas, maioritariamente mulheres e crianças", na cidade de Homs nos dias 11 e 12 de Março.

O documento da HRW refere que, nestes casos, as forças de segurança sírias agiram sozinhas ou em parceria com as "Shabiha" (milícias do regime) e executaram as pessoas que tentavam fugir a tiro, além de terem esfaqueado cidadãos nas suas casas enquanto conduziam buscas domiciliárias.

Human Rights Watch direitos humanos execução civis síria regime sírio rebeldes
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)