Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
4

Caos na quinta noite de protestos na Catalunha. 54 detidos e 182 pessoas feridas

Site da organização "Tsunami Democrático" encerrado durante protestos na Catalunha
Lusa 19 de Outubro de 2019 às 07:26
Protestos violentos na Catalunha
Protestos violentos na Catalunha
Terceira noite de protesto em Barcelona
Terceira noite de protesto em Barcelona
Protestos violentos na Catalunha
Protestos violentos na Catalunha
Terceira noite de protesto em Barcelona
Terceira noite de protesto em Barcelona
Protestos violentos na Catalunha
Protestos violentos na Catalunha
Terceira noite de protesto em Barcelona
Terceira noite de protesto em Barcelona
O juiz da Audiência Nacional espanhola Manuel García Castellón ordenou na sexta-feira o encerramento das páginas na internet da plataforma "Tsunami Democrático", promotora das mobilizações que geraram confrontos entre separatistas e a polícia na Catalunha, que já fizeram pelo menos 54 detidos e 182 feridos, segundo o El Espanol.

Este juiz, o mesmo que mandou prender sete membros dos Comités de Defesa da República (CDR) e também mandou fechar os perfis nas redes sociais a eles ligados, tomou agora a decisão contra a plataforma "pelas mesmas razões com que prendeu" os outros elementos que estão ligados à promoção do terrorismo, de acordo com fontes judiciais.

Os sete CDR foram presos em 26 de setembro por diversos crimes, entre eles integrarem uma organização terrorista, fabrico e posse de explosivos, e conspiração para causar estragos e prejuízos.

Segundo as mesmas fontes citadas pela agência espanhola Efe, o juiz, que investiga esses factos num processo com teor secreto, confiou à Guardia Civil o encerramento do 'site' e dos perfis vinculados ao "Tsunami Democrátic"o, a mesma polícia que está a investigar as ações dos sete CDR presos.

No entanto, as fontes especificaram que apenas os domínios localizados em Espanha podem ser bloqueados, o que significa que se estiverem localizados no estrangeiro não poderão ser bloqueados imediatamente.

Assim que a decisão do magistrado foi conhecida, o grupo Anonymous postou uma captura de tela da aplicação "Tsunami" na qual a Catalunha é informada de que aquele 'site' foi fechado pela autoridade judicial.



A plataforma "Tsunami Democrático" classificou como um ato de "censura" o encerramento do seu 'site' e acrescenta que já replicou o mesmo, garantindo que continua a operar pela sua aplicação e pela rede Telegram.

Numa mensagem via Telegram, a plataforma afirma que "a censura começa exatamente como no 1.º de outubro", mas questionou: "Acham que um 'tsunami' pode ser interrompido?".

Assim, a plataforma recomendou aos utilizadores que baixassem a aplicação móvel e seguissem as chamadas pelo canal Telegram, enquanto ativavam outro 'site': "democrattsunami.eu".

A plataforma também recomenda que os utilizadores usem a conexão VPN (rede privada virtual), garantindo que "é mais difícil censurar".

À organização autodenominada "Tsunami Democrático" é atribuída a convocação das manifestações pacíficas na Catalunha a partir do fim da tarde, mas no início da noite uma minoria formada por jovens encapuçados lança a confusão.

A cidade de Barcelona tornou-se, desde a noite de segunda-feira, cenário de confrontos entre polícias e manifestantes, que construíram barricadas, queimaram mobiliário urbano e pneus, fizeram fogueiras e atiraram pedras e petardos contra as autoridades.

Esta noite os confrontos entre os separatistas e a polícia aumentaram de violência, com barricadas e fogos ateados pelos radicais, ao que a polícia respondeu com balas de borracha, gás lacrimogéneo e canhões de água.

Na segunda-feira, o Supremo Tribunal espanhol condenou os principais dirigentes políticos catalães envolvidos na tentativa de independência daquela comunidade autónoma espanhola a penas que vão até um máximo de 13 anos de prisão.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)