Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Sondagens dão vitória ao 'sim' no referendo sobre aborto na Irlanda

Estudos à boca da urna dão vantagem de 68% para 32% aos que votaram pela despenalização.
J.C.M. 25 de Maio de 2018 às 22:51
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
Campanha pela despenalização do aborto na Irlanda
As sondagens sobre o resultado do referendo ao aborto na Irlanda apontam para uma vitória esmagadora do 'sim', o que pode retirar o país da condição de ter uma das leis mais restritivas sobre a interrupção voluntária da gravidez na Europa.

A sondagem do Irish Times/Ipsos MRBI diz que 68% dos eleitores votaram pela despenalização do aborto, num referendo que se espera ter sudi o mais participado de sempre.  

O primeiro-ministro Leo Varadkar, que fez campanha pelo 'sim', qualificou o referendo como "uma oportunidade única de uma geração" e disse estar "muito confiante" de que o 'sim' ganhou, avança a Reuters.

A contagem dos votos começa à 8h00 (mesma hora em Lisboa), com a previsão de haver resultados por volta do meio-dia.

A possibilidade de se realizarem abortos já tinha sido aberta em 2013, quando a lei mudou para permitir intervenções em caso de risco de vida para a mãe. Mas, esta sexta-feira, os eleitores foram chamados a dizer se queriam abolir a emenda de 1983 à constituição irlandesa que tornou os direitos do embrião iguais aos da mãe, proibindo o aborto.

O tema do aborto continua, no entanto, a dividir os 4,8 milhões de habitantes de um dos países mais católicos do mundo. Onde as mulheres se habituaram a viajar para Inglaterra para terminar gravidezes não desejadas.

Irlanda MRBI Europa Irish Times Leo Varadkar Ipsos Lisboa Reuters Inglaterra política aborto referendo irlanda
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)