Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Sri Lanka em alerta para “ataque iminente”

Grupo islâmico responsável pelos atentados contra igreja e hotéis no Domingo de Páscoa estará a planear novos ataques.
Ricardo Ramos 30 de Abril de 2019 às 09:13
Segurança reforçada junto à catedral de Santo António, em Colombo, um dos alvos visados pelos terroristas nos ataques do Domingo de Páscoa
Expolosões no Sri Lanka
Expolosões no Sri Lanka
Explosões no Sri Lanka
Explosões no Sri Lanka
Segurança reforçada junto à catedral de Santo António, em Colombo, um dos alvos visados pelos terroristas nos ataques do Domingo de Páscoa
Expolosões no Sri Lanka
Expolosões no Sri Lanka
Explosões no Sri Lanka
Explosões no Sri Lanka
Segurança reforçada junto à catedral de Santo António, em Colombo, um dos alvos visados pelos terroristas nos ataques do Domingo de Páscoa
Expolosões no Sri Lanka
Expolosões no Sri Lanka
Explosões no Sri Lanka
Explosões no Sri Lanka
Os membros sobreviventes do grupo terrorista islâmico que levou a cabo os ataques contra igrejas e hotéis do Sri Lanka no Domingo de Páscoa poderão estar a preparar novas atrocidades.

Um alerta urgente emitido pelas forças de segurança cingalesas avisa que os ataques estarão "iminentes" e que os terroristas poderão usar uniformes militares para passar despercebidos.

O alerta foi posto a circular no domingo e indica que "uma nova onda de ataques" poderá ocorrer "nos próximos dias". De acordo com informações recolhidas pela polícia em buscas a vários esconderijos do grupo na última semana, os terroristas tencionam atacar cinco alvos e planeiam usar fardas do Exército para iludir a vigilância.

O alerta menciona ainda uma carrinha, provavelmente armadilhada. A ameaça de novos ataques foi confirmada à agência Reuters por fontes policiais e políticas.

Mais de 10 mil militares e polícias foram mobilizados para reforçar a segurança em todo o país após os ataques do Domingo de Páscoa, que fizeram 253 mortos, incluindo o português Rui Lucas, de 31 anos, que se encontrava em lua de mel. Um total de 40 cidadãos estrangeiros, na sua maioria turistas, perderam a vida nos ataques.

Os ataques foram reivindicado pelo Daesh mas o governo diz que foram levados a cabo por dois grupos islâmicos locais.

Mais de 100 pessoas foram detidas e pelo menos 15 pessoas morreram num violento tiroteio com a polícia na sexta-feira, incluindo o pai e dois irmãos do alegado cabecilha da célula que levou a cabo os ataques, Zahran Hashim, que foi um dos nove bombistas que se fizeram explodir em igrejas e hotéis.

O grupo por ele fundado, National Thawheed Jamaath, foi no sábado ilegalizado pelo governo, no mesmo dia em que a polícia realizou buscas na sua sede, em Colombo, detendo pelo menos uma pessoa.

PORMENORES 
Burqa e niqab proibidos
O governo do Sri Lanka proibiu ontem o uso da burqa e do niqab por razões de segurança, alegando que estes véus islâmicos, que cobrem o rosto, podem ser usados pelos terroristas para iludirem a vigilância das autoridades e levar a cabo ataques.

Turismo cai para metade
O número de turistas que visitam o Sri Lanka deverá cair para metade nos próximos meses devido ao sentimento de insegurança causado pelos atentados do Domingo de Páscoa, indicou ontem o governo, que estimou em 700 milhões de euros as perdas do setor turístico neste ano.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)