Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Strauss-Kahn de regresso à 'dolce vita'

O antigo director-geral do FMI, Dominique Strauss-Kahn, queixou-se há um dia de estar "muito aborrecido". Vivia nessa altura num apartamento da baixa de Manhattan, que, atendendo aos parâmetros a que está habituado, poderia ser considerado modesto. O seu tédio terá sido, por certo, muito minorado quando esta quinta-feira foi transferido para uma casa de três pisos no selecto bairro de Tribeca.
26 de Maio de 2011 às 18:10
Antigo director do FMI, Dominique Strauss-Kahn, queixou-se há um dia de estar "muito aborrecido"
Antigo director do FMI, Dominique Strauss-Kahn, queixou-se há um dia de estar 'muito aborrecido' FOTO: Reuters

Aí, pode combater a monotonia dos dias sob prisão domiciliária a ver cinema numa sala privativa, a tomar banhos de sol no terraço, ou a descontrair num luxuoso 'spa', que inclui piscina e banho turco, entre outras 'mordomias'.

É certo que estará sujeito a vigilância por vídeo e a ser acompanhado por seguranças em todas as deslocações que lhe são permitidas. Mas não deixa de ser uma prisão dourada.

A casa, que foi cobiçada pela actriz Cameron Diaz, custa a módica quantia de 50 mil euros mensais e tem um luxo que supera mesmo o do primeiro apartamento que deveria tê-lo acolhido após a libertação, sob fiança, da prisão de Rikers Island.

Esse apartamento, junto ao Central Park, tinha igualmente acesso a piscina, ginásio e outros extras, mas esses luxos eram partilhados pelos restantes residentes do condomínio.

Foram eles, aliás, que acabaram por impedir a sua transferência para o apartamento, alegando que não desejavam ter por vizinho um suspeito de abuso sexual que só traria atenções indesejadas ao local.

strauss-kahn fmi abuso sexual violação nova iorque eua
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)