Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
3

Strauss-Kahn livre de processo-crime

Dominique Strauss-Kahn e Nafissatou Diallo tiveram uma relação sexual "não consentida" mas as declarações "mentirosas" proferidas pela mulher inviabilizam o processo criminal, afirmou o procurador de Manhattan Cyrus Vance.

23 de Agosto de 2011 às 15:25
Procuradores de Manhattan entregaram documentos em que recomendam que algumas ou todas as acusações no caso de crimes sexuais contra Dominique Strauss-Kahn sejam retiradas
Procuradores de Manhattan entregaram documentos em que recomendam que algumas ou todas as acusações no caso de crimes sexuais contra Dominique Strauss-Kahn sejam retiradas FOTO: Reuters

De acordo com informações adiantadas pela imprensa norte-americana, os procuradores aconselharam que todas as acusações contra o antigo presidente do Fundo Monetário Internacional fossem levantadas mas oficialmente os documentos não foram tornados públicos e não se conhecem ainda detalhes.  

A queixosa, Nafissatou Diallo, e o seu advogado, Kenneth Thompson, reuniram-se brevemente com os procuradores.  

O advogado de Nafissatou Diallo denunciou um erro da justiça, depois de a sua cliente se ter reunido com o procurador de Nova Iorque: "O procurador de Manhattan Cyrus Vance recusa o direito à justiça a uma mulher vítima de violação", afirmou Kenneth Thompson.  

dsk strauss-kahn manhattan sexo violação crime sexual manhattan eua
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)