Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Submarino argentino desaparece no combate ao tráfico de droga

Marinha portuguesa garante resposta pronta para casos semelhantes.
Miguel Curado 20 de Novembro de 2017 às 01:30
Submarino 'San Juan' está desaparecido
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
Submarino San Juan
Submarino 'San Juan' está desaparecido
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
Submarino San Juan
Submarino 'San Juan' está desaparecido
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
O submarino argentino San Juan
Submarino San Juan
O submarino da Marinha Argentina ‘San Juan’ está oficialmente dado como desaparecido desde sexta-feira, com 44 tripulantes a bordo (entre os quais uma mulher, a primeira submarinista sul-americana). A embarcação estava envolvida numa missão de combate ao tráfico de droga. Em Portugal, a Marinha assegura resposta eficaz e pronta a situação semelhante.

O ‘San Juan’ saiu na segunda-feira de Ushuaya, para Mar del Plata. A missão obrigava a comunicação de segurança com a base a cada 24 horas. Na quarta- -feira, a tripulação deixou de responder e, 48 horas depois, foram lançadas buscas. Além de meios argentinos, estão presentes navios chilenos, brasileiros, uruguaios, britânicos e norte-americanos. Taveira Pinto, oficial da esquadrilha de submarinos da Marinha portuguesa, explicou ao CM o que seria feito caso o ‘Arpão’ e o ‘Tridente’ (submarinos nacionais) desaparecessem: "Colocaríamos fragatas com telefones de contacto com submarinos, assim como navios hidrográficos para vistoriar os fundos oceânicos, e mergulhadores com uma câmara hiperbárica portátil. A Força Aérea também empenharia aeronaves".

EUA enviam meios para reforçar buscas
Os EUA enviaram dois sistemas de apoio para reforçar as buscas pelo ‘ARA San Juan’, que continua em parte incerta no sul do Mar da Argentina. Trata-se de uma câmara de resgate submarino (SRC), acoplada num veículo subaquático operado à distância, e de um módulo pressurizado de resgate (PRS). 

Ambos os equipamentos têm cápsulas submergíveis com capacidade para transportar  os tripulantes do submarino para a superfície.
Ver comentários