Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Supremo manda reabrir julgamento do “Mensalão”

O Supremo Tribunal do Brasil decide reabrir o julgamento do “Mensalão”, onde estão envolvidos vários políticos acusados de fraude e desvio de fundos.
19 de Setembro de 2013 às 12:53
José Dirceu saiu do Executivo brasileiro em 2005, após ser envolvido no polémico 'Mensalão'
José Dirceu saiu do Executivo brasileiro em 2005, após ser envolvido no polémico 'Mensalão' FOTO: Jamil Bittar/Reuters

O Supremo Tribunal Federal brasileiro (STF) decidiu reabrir o julgamento da mega-fraude conhecida como “Mensalão”.

Este processo tinha sido dado como encerrado em Dezembro do ano passado, com a condenação de 25 dos 37 arguidos. Por 6 votos a favor e 5 contra, os 11 juízes da máxima corte do país aceitaram esta quarta-feira os recursos de 12 desses 25 condenados, que agora terão direito à revisão dos seus processos e poderão ter as sentenças modificadas.

Entre os beneficiados pela medida estão os dois principais arguidos no processo. José Dirceu, ex-ministro-chefe do primeiro governo de Lula da Silva, foi condenado a 10 anos e 10 meses de prisão como chefe do esquema que desviava milhões de empresas públicas para dar a aliados do ex-secretário de Estado. Além de Dirceu, também o publicitário Marcos Valério, condenado a 40 anos de cadeia como operador da fraude, poderá ver a sua sentença alterada.

Outros nomes que também terão os seus processos reavaliados, encontram-se o deputado José Genoíno, que na altura em que o escândalo do “Mensalão” foi revelado, em 2005, era presidente do Partido dos Trabalhadores, e Delúbio Soares, então tesoureiro nacional do mesmo partido.

A votação tinha ficado empatada na quarta-feira da semana passada, com 5 votos a favor e outros 5 contra, depois de semanas de ardentes discussões e até ofensas pessoais entre os juízes. O desempate coube esta tarde ao juiz Celso de Melo, o mais antigo dos magistrados que compõem o supremo e que, por isso, foi o último a votar.

Na nova fase do julgamento, serão escolhidos por sorteio um novo relator e um novo revisor para o caso, que não poderão ser os anteriores, respetivamente Joaquim Barbosa, hoje presidente da corte, e Ricardo Lewandowski, atual vice-presidente.

Mensalão Supremo Tribunal José Dirceu Lula da Silva Brasil fraude corrupção
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)