Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
1

Supremo trava partido nacionalista

O Supremo Tribunal espanhol proibiu o partido nacionalista basco Aukera Guztiak de concorrer às eleições regionais do próximo mês, considerando que o mesmo não passa de uma ‘continuação’ do ilegalizado Batasuna.
28 de Março de 2005 às 00:00
Os nacionalistas já prometeram recorrer para o Tribunal Constitucional, mas sem grande esperança.
Numa decisão já esperada, o Supremo considerou que o Aukera Guztiak dá “continuidade e sucessão” às “políticas e objectivos” de formações como o Herri Batasuna, Batasuna e Euskal Herratirok, os sucessivos ‘braços políticos’ da ETA ilegalizados pela Justiça espanhola.
Ontem, em conferência de Imprensa em San Sebastián, as dirigentes Marije Rodrigués de Lera e Ana Arbulu, cabeças de lista, respectivamente, por Biscaia e Álava, denunciaram a proibição do Supremo, considerando-a uma decisão “política, antidemocrática e um disparate jurídico”. As duas dirigentes do Aukera Guztiak pediram o apoio do presidente do governo regional basco, Juan José Ibarretxe, e anunciaram que vão recorrer para o Tribunal Constitucional, para esgotar todas as vias legais, embora não tenham grande esperança.
O porta-voz do ilegalizado Batasuna, Arnaldo Otegi, acusou já o governo espanhol de “fazer a apologia da luta armada” por “vedar aos independentistas todas as vias democráticas e políticas”. A reacção de Otegi ocorreu escassas horas antes da sua participação numa manifestação não autorizada em Pamplona.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)