Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
2

Supremo Tribunal do Brasil analisa pedido para barrar denúncia contra Temer

Presidente brasileiro é arguido pela alegada prática dos crimes de obstrução da Justiça e organização criminosa.
20 de Setembro de 2017 às 10:22
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
Michel Temer
O Supremo Tribunal Federal do Brasil decide esta quarta-feira se suspenderá uma denúncia da Procuradoria- Geral da República (PGR) contra o Presidente Michel Temer, arguido pela alegada prática dos crimes de obstrução da Justiça e organização criminosa.

Os advogados de Temer querem que o Supremo Tribunal Federal (STF) paralise o andamento do caso, alegando que as acusações contra o seu cliente dependem da conclusão de uma outra investigação sobre a conduta dos executivos da empresa JBS.

A delação premiada (acordo para confessar crimes em troca da diminuição da pena) da JBS é parte central das acusações contra o Presidente brasileiro.

Em depoimento às autoridades judiciais, os executivos da empresa alegaram que subornavam o Presidente em troca de favores junto a órgãos do Governo e também apresentaram a gravação de uma conversa entre um dos acionistas principais da JBS, o empresário Joesley Batista, e Michel Temer, na qual os dois supostamente combinam o pagamento de subornos.

Como a PGR suspendeu o acordo com a JBS por suspeitar que os membros da empresa cometeram irregularidades e omitiram factos importantes nos seus depoimentos, os advogados de Michel Temer querem paralisar esta denúncia da PGR, porque ela usa dados fornecidos pela JBS como prova.

Não é a primeira vez que Temer é arguido enquanto comanda o Governo do Brasil: escapou de um primeiro processo em agosto passado, ao vencer uma votação no plenário da Câmara dos Deputados (Câmara Baixa parlamentar).

Segundo a Constituição do país, cabe aos membros da Câmara Baixa julgar se o chefe de Estado do país sul-americano pode ser processado criminalmente no exercício do seu mandato.

No julgamento de hoje deverão manifestar-se os 11 membros do STF e o veredicto será determinado quando for alcançada uma maioria simples a favor ou contra a paralisação da denúncia.

Se o tribunal não acatar o pedido dos advogados de Temer, a denúncia da PGR seguirá para a Câmara Baixa, órgão que decide novamente em votação plenária se o Presidente brasileiro pode ou não tornar-se arguido.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)