Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
6

Suu Kyi ganha voz no Parlamento

Perseguida pelo regime militar birmanês, passou 15 dos últimos 23 anos presa. Aung San Suu Kyi, Nobel da Paz em 1991 por representar a esperança da democracia no seu país, foi ontem eleita deputada nas legislativas parciais da Birmânia.

2 de Abril de 2012 às 01:00
Regresso de Aung San Suu Kyi ao Parlamento é sinal de abertura do regime birmanês. Comunidade internacional espera mais avanços
Regresso de Aung San Suu Kyi ao Parlamento é sinal de abertura do regime birmanês. Comunidade internacional espera mais avanços FOTO: Damir Sagolj/Reuters

Os resultados têm ainda de ser confirmados pela Comissão Eleitoral, mas a Liga Nacional para a Democracia (LND), de Kyi, afirma que ela venceu no seu círculo eleitoral, em Kawhmu, com uns expressivos 82% dos votos.

A LND afirma que, ao todo, o partido conquistou 19 dos 45 lugares a votos (37 no Parlamento, seis no Senado e dois nas assembleias regionais). E não foram eleitos mais, afirma, devido às manobras do regime.

A eleição de Suu Kyi, voz da esperança do país, é uma vitória simbólica para um partido que em 1990 venceu as eleições por margem esmagadora para ver a Junta Militar anular os resultados. Em 2010, recorde-se, a LND boicotou as legislativas depois de o regime impedir a candidatura de Suu Kyi, então a cumprir uma das repetidas sentenças de prisão domiciliária a que foi condenada desde 1989. "É natural a alegria, mas temos de evitar actos que causem tensão. O sucesso do povo deve ser digno", afirmou Kyi. Os resultados são divulgados dentro de dias. EUA e UE deverão dizer então se suavizam as sanções ao regime.

BIRMÂNIA SUU KYI ELEIÇÕES PARLAMENTO
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)