Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Taxista alertou para massacre

Derrick Bird, o taxista que na passada quarta-feira assassinou 12 pessoas e deixou outras 11 feridas antes de se suicidar no condado de Cúmbria, norte de Inglaterra, já tinha ameaçado há nove meses que ia “comprar uma arma e matá-los a todos” para resolver quezílias pendentes com familiares e amigos.
6 de Junho de 2010 às 11:44
Bird já tinha alertado para o pior durante uma viagem à Croácia
Bird já tinha alertado para o pior durante uma viagem à Croácia FOTO: d.r.

O assassino confidenciou as suas intenções a dois dos seus melhores amigos durante umas férias à Croácia, em Setembro do ano passado. “Quando estava bêbedo, dizia-o para provocar confusão. Havia nele um lado obscuro”, afirmou Bob Cullen, um dos companheiros que viajou com ele.

Durante a mesma viagem, Bird confessou aos amigos que um dia ia comprar uma pistola e dispararia contra todos. Na altura, os amigos disseram-lhe para “não ser estúpido”.

Outro amigo, Gary Kennett, revelou que na noite anterior ao tiroteio Bird, após um encontro com o seu irmão gémeo e o advogado da família, Kevin Commons, lhe confessou que temia ser preso por fuga ao Fisco. “Era paranóico e estava deprimido. Estava convencido de que queriam tirar-lhe o seu dinheiro. Falava em retirar o dinheiro da sua conta bancária e fugir para a Tailândia”, acrescentou Kennett, para quem este foi o principal motivo a despontar o massacre.

Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)