Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo

Tchizé dos Santos acusa João Lourenço de criar um regime repressivo

Empresária diz que foi contra nomeação da irmã Isabel dos Santos para a Sonangol.
Francisco J. Gonçalves 11 de Janeiro de 2019 às 01:30
Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos
Tchivé dos Santos, empresária angolana, filha de José Eduardo dos Santos
Welwitschea ‘Tchizé’ dos Santos
Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos
Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos
Tchivé dos Santos, empresária angolana, filha de José Eduardo dos Santos
Welwitschea ‘Tchizé’ dos Santos
Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos
Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos
Tchivé dos Santos, empresária angolana, filha de José Eduardo dos Santos
Welwitschea ‘Tchizé’ dos Santos
Tchizé dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos
A deputada angolana Welwitschea ‘Tchizé’ dos Santos, filha do ex-presidente José Eduardo dos Santos, deu à agência Lusa uma entrevista dura na qual acusa o atual chefe de Estado angolano de estar a protagonizar uma transição de poder "que nenhum angolano esperava". ‘Tchizé’ acusa ainda João Lourenço de estar a criar um regime repressivo.

Questionada sobre a existência de uma "caça às bruxas", a filha do ex-presidente disse não querer ir tão longe.

"Não posso afirmar isso, porque se afirmar isso se calhar ainda saio daqui e sou processada por difamação e eu não quero ser um segundo Rafael Marques", afirmou ‘Tchizé’, dando o exemplo de um ativista que foi perseguido, curiosamente, pelo regime de Eduardo dos Santos.

"Para mim a transição era uma festa [...]. Entretanto, pelas declarações do ex-presidente e do atual presidente, há uma contradição pública e isso não é desejável para nenhum partido político", disse a deputada do MPLA, partido também de Lourenço e do antecessor.

A filha do ex-presidente elogiou Eduardo dos Santos. "Não se voltou a candidatar, fez uma transição porque queria em vida ver a consolidação e a consagração dessa democracia que hoje em dia é irrefutável", afirmou, assegurando que o pai dedicou a vida ao país: "Não teve vida própria dos 37 anos de idade até hoje".

"Portugal tem preconceito com africanos"
A empresária e deputada angolana afirmou à Lusa que em Portugal há "preconceitos" em relação aos africanos.

"Num banco em Portugal nunca vi um negro", afirmou, dizendo ainda que em Portugal são reservados aos africanos os trabalhos subalternos enquanto em Angola os portugueses "são donos de lojas, membros do conselho de administração".

Apesar disso, ‘Tchizé’ não fala de racismo e sim de "de preconceito e de ignorância".

Contra presidência da irmã na Sonangol
"Do ponto de vista do interesse nacional não fazia sentido", afirmou ‘Tchizé’ sobre a nomeação da irmã, Isabel dos Santos, para chefiar a Sonangol, em 2016.

"Não era por falta de competência", frisou, "é por haver poucos empresários capazes de gerar emprego como ela" no setor privado.

PORMENORES
Continuar legado do pai
‘Tchizé’ dos Santos admitiu ter o desejo de continuar "o legado" do pai, apesar da oposição no MPLA, onde diz ter havido uma tentativa para a desacreditar.
Imposto sobre fortunas Defendeu um imposto sobre as fortunas como alternativa à repatriação coerciva de capitais.

Lançar canal de TV
A empresária ‘Tchizé’ vai lançar este ano o canal, ‘Vida TV’, com distribuição por cabo em Angola e Moçambique, e defende que dirigiu a TPA2 por mérito e não por ser filha do ex-presidente.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)