Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
9

TERROR EM BOMBAIM

Pelo menos 52 pessoas morreram e cerca de 150 ficaram feridas, mais de 100 em estado grave, na sequência de um duplo atentado à bomba na cidade de Bombaim, capital financeira da Índia, ao início da tarde desta segunda-feira.
25 de Agosto de 2003 às 12:49
Estado em que ficou um automóvel na zona de uma das explosões
Estado em que ficou um automóvel na zona de uma das explosões FOTO: d.r.
Um dos engenhos explosivos, o mais poderoso, foi detonado próximo do Portão da Índia, um monumento muito procurado por turistas, próximo do hotel de luxo Taj Mahal, no centro de Bombaim. A outra bomba, presumivelmente colocada no interior de um automóvel, explodiu nas imediações, quase em simultâneo, num mercado de rua perto de um templo hindu.
Testemunhas oculares relatam um cenário de horror, com pedaços de corpos espalhados pela rua. Uma fonte governamental chegou a anunciar quatro explosões, mas o jornal indiano “Hindustam Times” confirma apenas duas explosões e revela um balanço dramático de 52 mortos e 150 feridos, sendo que muitos destes estão hospitalizados em estado grave, pelo que os números finais poderão ser ainda mais dramáticos.
Ninguém reivindicou os atentados, mas este tipo de acções em solo indiano são habitualmente atribuídas a militantes islâmicos, com alegado apoio do Paquistão. Recorde-se que a descolonização britânica da Índia, em 1947, resultou na divisão do território em dois países e duas populações de maioria religiosa: Índia hindu e Paquistão muçulmano. Esta divisão criou dois vizinhos hostis. Talvez não seja por acaso que o governo do Paquistão foi o primeiro a condenar o que classificou de actos terroristas.
As autoridades indianas ainda (até à hora desta notícia) não atribuíram culpas, mas reforçaram as medidas de segurança em redor de edifícios governamentais da capital, Nova Deli, e colocaram as forças de segurança em alerta máximo nos estados de Maharashtra e Gujarat. O duplo atentado ocorreu uma semana antes do início do Festival Ganpati.
Este foi o segundo pior ataque à bomba em solo indiano desde a independência do país. Em 1993, uma série de bombas explodiu também em Bombaim, provocando 260 mortos. O antagonismo crónico entre hindus e muçulmanos tem sido mais marcado por motins ou ataques incendiários, mais sangrentos, que por ataques à bomba. A cidade de Bombaim tem sido um palco habitual desta hostilidade, com pelos menos seis ataques à bomba desde Dezembro do ano passado.
Ver comentários
Newsletter Diária Resumo das principais notícias do dia, de Portugal e do Mundo. (Enviada diariamente, às 9h e às 18h)