Barra Cofina

Correio da Manhã

Mundo
8

Terrorista do Bataclan era filho de mãe portuguesa

Ismaël Omar Mostefaï era filho de pai argelino.
15 de Novembro de 2015 às 16:35
Ismaël Omar Mostefaï foi um dos três terroristas que atacou o Bataclan
Ismaël Omar Mostefaï foi um dos três terroristas que atacou o Bataclan FOTO: EPA
O único dos autores dos ataques de Paris identificado pela polícia até ao momento, Ismaël Omar Mostefaï, era filho de uma portuguesa e de um argelino, noticiou este domingo o New York Times citando o presidente da câmara de Chartres.

Mostefaï, 29 anos, identificado pela polícia a partir do dedo que foi encontrado pela polícia nos destroços do Bataclan, foi um dos três atacantes que se fizeram explodir na sala de concertos Bataclan, onde morreram 89 pessoas.

Segundo o jornal norte-americano, Mostefaï viveu com os pais perto de Chartres e o presidente da câmara local, Jean-Pierre Gorges, identificou-o depois de a polícia divulgar o nome.

Segundo um vizinho, citado pelo jornal, Mostefaï era um dos cinco filhos de uma portuguesa e um argelino, "uma família normal, como todas as outras".

"Ele brincava com os meus filhos. Nunca falava de religião, era normal. Tinha alegria de viver, ria-se muito", disse o vizinho. A mesma fonte afirmou ainda que em 2010 o jovem começou a radicalizar-se.

Segundo o New York Times, Mostefaï nasceu na cidade de Courcouronnes, nos arredores de Paris, e cresceu nos arredores de Chartres, onde viveu até 2012.

De acordo com o Le Monde, o jihadista terá estado alguns meses na Síria entre 2013 e 2014. Há registos da sua passagem na Turquia, porta de entrada privilegiada para o território sírio.

No sábado, o procurador de Paris, François Molins, disse que Mostefaï era conhecido das autoridades por pequenos delitos cometidos entre 2004 e 2010 e era vigiado desde então por constar de uma base de dados dos serviços de informações com nomes de pessoas de ideologia islâmica radical.

Seis pessoas próximas de Mostefaï, incluindo o pai, um irmão e uma cunhada, foram detidas para serem interrogadas.
Ismaël Omar Mostefaï terrorismo Portugal Bataclan Paris França atentados
Ver comentários